- Publicidade -

Por que os dias da semana acabam com feira?

No Império Romano, a astrologia introduziu no uso popular a septimana, ou seja, sete manhãs, de origem babilônica. Inicialmente, os nomes dos Deuses orientais foram substituídos por equivalentes latinos. No cristianismo, o dia do Sol, solis dies, foi substituído por dominica, dia do Senhor; e o saturni dies, dia de Saturno, por sabbatum, derivado do hebraico shabbath, dia do descanso, consagrado pelo Velho Testamento. Os outros dias eram dedicados a: Lua (segunda), Marte (terça), Mercúrio (quarta), Júpiter (quinta) e Vênus (sexta).

O termo “feira” surgiu em português porque, na semana de Páscoa, todos os dias eram feriados – férias ou feiras – e, além disso, os mercados funcionavam ao ar livre. Com o tempo, a Igreja baniu das liturgias os nomes pagãos dos dias, oficializando as “feiras”.

O domingo, que seria a primeira feira, conservou o mesmo nome por ser dedicado a Deus, fazendo a contagem iniciar-se na “secunda feira”, a segunda-feira. O sábado foi mantido em respeito à antiga tradição hebraica.

Feira – dia de descanso

“Feira” vem de feria, que, em latim, significa “dia de descanso”. O termo passou a ser empregado no ano 563, após um concílio da Igreja Católica na cidade portuguesa de Braga – daí a explicação para a presença do termo somente na língua portuguesa.

Apesar da oposição da Igreja, as designações pagãs sobreviveram em todo o mundo cristão, menos no que viria a ser Portugal, graças ao apostolado de São Martinho de Braga (século VI), que combatia o costume de “dar nomes de demônios aos dias que Deus criou”.

Mas se “feria” é dia de descanso, por que se usa “feira” apenas nos dias úteis?

Isso acontece porque, no início, a ordem do bispo valia apenas para os dias da Semana Santa (aquela que antecede o domingo de Páscoa), em que todo bom cristão deveria descansar. Depois acabou sendo adotada para o ano inteiro, mas só pelos portugueses – no espanhol, no francês e no italiano, os deuses continuam batendo ponto dia após dia.

Desde 321 os calendários ocidentais começam a semana pelo domingo. A regra foi imposta naquele ano pelo imperador romano, Constantino, que, além disso, estabeleceu definitivamente que as semanas teriam sete dias. A ordem não foi aleatória: embora na época os romanos adotassem semanas de oito dias, a Bíblia já dizia que Deus havia criado a Terra em seis dias e descansado no sétimo e, ao que tudo indica, os babilônios também já dividiam o ano em conjuntos de sete dias.

  • Espanhol: Domingo, Lunes, Martes, Miércules, Jueves, Viernes, Sabado
  • Francês: Dimanche, Lundi, Mardi, Mercredi, Jeudi, Vendredi, Samedi
  • Italiano: Doménica, Lunedi, Martedi, Mercoledì, Giovedì, Venerdì, Sabato
Dia do Senhor (Domingo)
Dia da Lua (segunda)
Dia de Marte (Terça)
Dia de Mercúrio (Quarta)
Dia de Júpiter (Quinta)
Dia de Vênus (Sexta)
Dia do shabbath; Repouso (Sábado)
E também…
  • Inglês: Sunday, Monday, Tuesday, Wednesday, Friday, Saturday,
  • Alemão: Soontag, Montag, Dienstag, Mittwoch, Donnerstag, Freitag, Samstag

Dia do Sol (Domingo)
Dia da Lua (Segunda)
Dia de Tyr* (Terça)
Média da Semana (alemão) / Dia de Woden* (Inglês) (Quarta)
Dia do trovão (alemão) / Dia de Thor* (Inglês) (Quinta)
Dia de Freyja* (Sexta)
Dia do shabbath; Repouso (Alemão) / Dia de Saturno (Inglês) (Sábado)

Tyr é o deus germânico original do combate (Aesir), do céu, da luz, dos juramentos
Thor é o mais forte dentre deuses e homens, é um deus de cabelos vermelhos e barba, de grande estatura, representando a força da natureza
Woden é o Deus supremo dos nórdicos e pai de Tyr
Freyja, mulher de Woden e deusa da beleza

- Publicidade -

Artigos recomendados