- Publicidade -

Por que muitos países Islâmicos levam a terminação “istão” no nome?

deserto árabe

O sufixo “istão”, presente nos nomes de nações como Tadjiquistão, Uzbequistão, Cazaquistão, Afeganistão e outras, vem da raiz iraniana stan, que significa lugar, terra, lar ou país.

Nas terras hoje ocupadas por estas nações já viveram povos cujos nomes foram utilizados para compor, juntamente com o sufixo stan, a denominação do país. A única exceção é o Paquistão, já que pak (de Pakistan) reúne as iniciais de , Afeganistão e Cachemira (Kashmir).

Etimologia

Afeganistão (أفغانستان, Afghánistán): significa “assaceni/assacani”, “asscenus”). Aparentemente, o termo pré-cristão “ashvakan”, modificado a partir de “avagan” em algum estágio antes da época do Varaha Mihira e experimentou uma outra mudança – para “afegão” – provavelmente no começo da Idade Média.

Os termos “abgan” e “apakan”, caso se refiram realmente a “afegão”, aparentemente representam variantes iranianas do sânscrito “avagan”. Além disso, a designação “aspasios/aspasii” (= “isapsaiz/aspazais”) tornou-se a moderna “yousafzai” a apenas poucos séculos atrás. Estudiosos identificam estes ashvakas (“assakenois” e “aspasios”) como o clã dos cambojas. O sufixo persa Östan (استان — empregado de forma contraída no sufixo “stan”) expressa o significado de “terra” ou “terra dos”.

Cazaquistão (Ҝазақстан): significa “terra dos cazaques”. O significado da palavra “cazaque” é incerto, mas com certeza é algo em torno da linha “independente/rebelde/errante/bravo/livre”. “-stan” é é um sufixo persa que significa “terra”.

Paquistão (باكستان): o então estudante de Cambridge e nacionalista islâmico Choudhary Rahmat Ali cunhou o nome. Ele inventou a palavra e a publicou em 28 de janeiro de 1933 no panfleto “Agora ou Nunca”. O nome é um acrônimo das iniciais dos diferentes estados e regiões. São elas: P – Punjab, A – Afghania, K – Kashmir (Caxemira), S – Sindh e o sufixo persa “-stān”de Balochistān, assim formando “Pakstān”.

O som de “i” foi introduzido para facilitar a pronúncia, passando assim a “Pakistān”. Rahmat Ali expandiu sua explicação em 1947 no livro “Pakistan: the Fatherland of the Pak Nation” (“Paquistão: a Terra Natal da Nação Pak”).

Nesse livro ele explica o significado do acrônimo da seguinte forma: P – Punjab, A – Afghania, K –Caxemira, I – Irã, S – Sindh, T – Turcaristão (aproximadamente os estados turcos da Ásia central), A=Afeganistão e N – BalochistaN. Outro significado é adicionado com a palavra persa پاک, “Pāk”, que significa “puro”. O nome completo significa então “terra da pureza”. O uso do nome se espalhou gradualmente durante a campanha de implantação de um estado muçulmano no que era então a Índia Britânica.

Quirguistão (Кыргызстан – Kyrgyzstan): deriva de três palavras: “kyrg”, “quarenta”; “yz”, “tribos”; “-stan”, sufixo persa para “terra”. Portanto, “terra das quarenta tribos”.

Tadjiquistão (Тоҹикистон – Todschikiston): significa “terra dos tadjiques”, apesar de o significado de “tadjique” não ser claro. Existem três explicações para ele: popularmente, o etnônimo deriva das palavras persas “taj” que significa “coroa” e “ik”, “cabeça”, ou seja, “pessoa com uma coroa em sua cabeça”; a bandeira do país exibe o desenho de uma coroa que abona essa explicação. Alternativamente, “tajik” pode derivar da raiz turca “tasi” que significa “muçulmano”.

Uma terceira possibilidade é de que o nome derive da palavra do sânscrito “tajika” que significa “persa” (os tadjiques são persas étnicos). Os tibetanos chamam a Pérsia de “sTag.Dzig” (pronuncia-se “Tajik”) que em tibetano significa “tigre-leopardo”.

Isto poderia explicar por que muitas lendas tibetanas sobre seus vizinhos ocidentais os caracterizam com combinações de feições de tigres e leopardos. A palavra “tajik” no mundo iraniano significa simplesmente “persa”.

Turcomenistão (Түркменистан): “terra dos turcomenos”; “-stan” é um sufixo persa que significa “terra”. Os turcomenos são um povo de origem turca.

Uzbequistão (Ўзбекистан): “terra dos uzbeques”. O povo uzbeque adotou a palavra “uzbek” como nome tribal por volta da metade do século XIV. Significa “mestre/senhor de si mesmo”. “Uz” em turco significa “o próprio” e “bek” de origem iraniana (sogdiano), significa “mestre”. O sufixo persa “-stan” significa “terra”.

- Publicidade -

Artigos recomendados