Os “sete sábios” da Grécia Antiga

547

Os “sete sábios” da Grécia Antiga foram:

Sólon – Foi um dos maiores legisladores de seu tempo. Deve-se-lhe a fundação da democracia ateniense. Passou à posteridade como filósofo e estadista dos mais notáveis. Redigiu a primeira Constituição de Atenas, sua terra natal. Morreu em 558 a.C., com a idade de 82 anos.

Mison – Segundo alguns autores, foi grande legislador e filósofo. Deu aos atenienses todos os seus conhecimentos sobre a essência da vida. Expirou no exílio no ano 620 a.C.

Tales de Mileto – Era natural de Mileto, cidade da Grécia antiga, daí o sobrenome. Distingui-se como filósofo, astrônomo e matemático. Fundou a geometria das linhas e dividiu o ano em 365 dias. Foi um dos maiores gênios da Astronomia. Deu as primeiras descrições sobre a forma da Terra, e previu um eclipse do Sol em 585 antes de Cristo. Morreu no ano 548 a.C., com a idade de 92 anos.

Bias – Destacou-se como filósofo e grande jurisconsulto. Célebres foram os seus pareceres sobres questões jurídicas. Colocando-se sempre ao lado do povo, pôs seu talento ao serviço de reivindicações justas. Expirou em Priene, sua terra natal, no século VI a.C.

Cleóbulo – Interpretava com habilidades as coias mais obscuras. Salientou-se como pensador, sua existência remonta ao século III a.C.

Quilon – Foi um dos gênios mais notáveis da Grécia antiga. Filósofo e estadista, deu aos atenienses todo o esplendo de seu talento. Morreu, para alguns, em Lacedemônia, cidade em que nascera no século IV a.C. Expirou em consequência de um colapso cardíaco, ao beijar seu filho, vencedor dos jogos olímpicos.

Pítaco – Distinguiu-se como estadista e hábil político. Governou os atenienses com grande influência, dando-lhes sábia legislação. Nasceu em Mitilene no século VI ou VII a.C., e expirou em Atenas, com a idade de 72 anos, segundo alguns autores.

- Publicidade -