Os insultos mais comuns da Roma Antiga

369

Conheça alguns dos insultos mais comuns da Roma Antiga do século I. Os palavrões ou palavras vulgares e desqualificadas para se usar em meio à sociedade também existiam no mundo dos romanos.

Ofensa vem do latim offendere, “atacar, desagradar”, formada por ob- “contra”, mais fendere, “investir contra, atacar”. Insultar do latim insultare, “atacar, pular sobre”, de in-, “em, sobre”, mais salire, “pular”.

Calúnia do latim calumnia, “acusação malevolente, subterfúgio, disfarce”, de calvi, “enganar”. Desacato vem de des-, com o sentido de “oposto, contrário”, mais capere, “tomar, agarrar”. Xingar vem do Quimbundo xinga, “ofensa, desaforo, blasfêmia”.

Os romanos usavam uns palavrões ou xingamentos comuns, dentre os quais destacam-se estes:

Stulte! (inepto, sem juízo, insensato, sandeu, néscio, presunçoso, ignorante, idiota)
Este era o insulto mais frequente em Latim, para intensificar seu significado dizia-se stultissime. Palavrão dirigido a quem perdeu a capacidade normal de raciocinar.

Fatue! (tonto). Não tem o mesmo significado que idiota. Fatue era utilizado para se referir a alguém que não se inteirava das coisas, que estava por fora dos acontecimentos.

Bucco! (linguarudo, tagarela, fofoqueiro).
Este é para se referir a uma pessoa que fala demais, e que não guarda nenhum segredo, conta coisas que não deveria contar. Bucco era um insulto considerado pesado, sério, e era muitas vezes combinado com caenum (sujo) para se dizer algo como “boca suja”.

Ructator! (arrotador). Os romanos insultavam muito em função da higiene e dos bons modos. Convenhamos que arrotar não é algo de bom gosto…

Matula! (cabeça oca).
Matula era utilizada quando o insultado era considerado menos inteligente.

Spurce! (asqueroso)
Por Júpiter! O que custa cuidar da higiene de vez em quando?!

Crudelis! (cruel, insensível, desumano, truculento!)
Crudelissime! (muito cruel): insulto empregado contra alguém que tenha feito algo gravíssimo.

Perfide! (traidor, enganador, traiçoeiro, falso). Entre os Romanos a fides significava a credibilidade que alguém adquiria quando cumpria de maneira correta seus compromissos. Este insulto serve para alcunhar o marido ou a esposa infiel, o que sonega a pagar um empréstimo, ao político que não cumpriu suas promessas.

Os palavrões latinos que aludem à falta de sensatez, que demonstram a tolice, a insânia do oponente, são:

Amens! (louco, perturbado, demente, doido, insano).
Este insulto se dirige a quem é imprudente.

Caudex! (estúpido, bruto, burro, asno).
Este palavrão se dirige ao adversário que possui uma cabeça dura, um cérebro de consistência pétrea.

Fanatice! (delirante, extravagante).
Este é dirigido a quem se fixa num sistema doutrinário qualquer defendendo-o apaixonadamente.

Imbecillis! / Imbecille! (fraco, débil, idiota, sem noção, estulto, estúpido, abobalhado).
Empregado contra quem sofre de firmeza intelectual, contra quem possui idade mental infantil. O étimo do termo é In + baculus = sem cajado, sem cetro, para se apoiar. Daí o sentido de fraco.

Nequissime! (velhaco, perverso, injusto, corrupto, torpe, imoral, libertino, desregrado, / indolente, fraco, inábil, / tratante, ímprobo). Usado contra vários vícios e condutas desregradas, desde as de mau pagador até às de sem-vergonha.

Stipes! (tolo, simplório,tonto, parvo, pateta, basbaque, babaca, disparatado).
Usado na mesma linha do caudex.

Tanto caudex quanto stipes são substantivos que têm por acepção primária “tronco de árvore, raiz de árvore, pé de árvore, árvore”. Ambos, devido a esta acepção mesmo, foram usados como interjeições insultuosas para denotar a consistência lígnea – dura como a lenha, o tronco da árvore – do cérebro do adversário.

Stolide! (sem perspicácia, estólido, estúpido, desarrazoado, irracional, impertinente, inoportuno, molesto, enfadonho, incômodo, simplório). Insulto dirigido ao adversário que não compreende ou que possui deficiência intelectual que o impossibilita a discorrer, raciocinar, argumentar.

Stolo! (fátuo, sem juízo, vaidoso, presunçoso, fugaz, pretensioso).
Usado contra quem se julga melhor que os outros, superior.

Stolo é um substantivo da área de botânica que tem a acepção primária de pimpolho, renovo, broto, vergôntea, que é a plantinha nova no seu estágio inicial de desenvolvimento, possuidora de um aspecto de fragilidade, fugacidade e, até mesmo, de pretensão, em relação à planta desenvolvida. Daí sua aplicação como interjeição injuriosa.

Os palavrões latinos que recorrem à metáforas do mundo animal são:

Hirce! (fedido, fedorento, imundo, / luxurioso, carnal, lascivo). Palavrão dirigido a quem tem cheiro ruim e a quem é dado aos desregramentos sexuais. O termo de injúria provém de hircus = bode.

Pecus! (bruto, asno, besta, sem capacidade, estúpido). Usado contra quem não possui virtude intelectual para receber conhecimentos e ou fornecer argumentos. Vem de pecus = animal doméstico, gado miúdo.

Sus! (porco, sujo, imundo / ignorante, estúpido). Palavrão que denota o ser sujo e sem capacidade intelectual. Sus, em latim, é porco, porca.

Vervex! (estúpido, árido, pesado, insuportável, excessivo, exagerado, incivil, grosseiro).
Empregado para o desprovido de sensibilidade, educação e bons modos. O termo vervex significa carneiro castrado.

Os palavrões latinos que recorrem ao mundo dos insetos e dos batráquios são:

Bufo! (burlesco, farsesco, grotesco, cômico, ridículo, caricato).
Empregado para quem faz traquinagens ou provoca riso. Vem de bufo = sapo.

Cimex! (explorador, gigolô, rufião, proxeneta, cafetão).
Usado contra quem vive na dependência de outro. Cimex é o percevejo, parasita que se hospeda em seres humanos.

Hirudo! (sanguessuga, sugador, rapinador, vampiro psíquico). Usado contra quem extenua, suga, rouba física ou psicologicamente valores dos outros. O nome hirudo é sanguessuga, animal anelídeo que se alimenta do sangue alheio.

Os palavrões que censuram costumes sexuais são:

Cinaede! (obsceno, torpe, desonesto, lascivo, descarado, dissoluto, impudico).
Termo injurioso usado contra quem é luxurioso, lascivo, amante de vida sexual promíscua.

Impudice! (desonesto, descarado, impudico, torpe, imoral, impudente, desavergonhado, devasso).
Palavrão empregado contra quem é moralmente dissoluto.

Mentula! (cacete, porra, caralho, caramba).
Palavrão usado para expressar surpresa, sofrimento ou insatisfação. Vem de mentula = pênis, membro viril.

Pathice! (torpe, obsceno, procaz, sórdido, soez).
Tem o mesmo uso de cinaede.

Spado! (infértil, eunuco, gay, mole, broxa, impotente, castrado).
Palavrão dirigido a quem não consegue ingurgitar o pênis para manter relação sexual naturalmente.

Os palavrões de cunho escatológico ou obsceno são:

Cacate! / Cacator! (vá cagar! (primeiro termo) / cagão, medroso, fraco. covarde.)

Cunnus! (desonesta, prostituta, garota de programa, meretriz, rameira).
Palavrão usado contra as mulheres que oferecem sexo em troca de pagamento.

Futue te ipsam! / Futue te ipsum! (vá se foder!)
É um xingamento para significar dane-se, vá se danar.

Merda! / Merdose! (merda, bosta). É uma interjeição que expressa descontentamento.

Sordes! (sujo, imundo, esquálido, ignorante, imundo, mesquinho). Termo usado contra quem é despudorado e ou vive na imoralidade.

Os palavrões que servem para desprezar um ser adversário são:

Pusille! (fraco, tímido, micróbio, acanhado, inseguro, medroso, inibido).
Empregado contra quem não tem disponibilidade e agilidade nas ações.

Vetule! (antiquado, obsoleto, arcaico, anacrônico, ultrapassado).
Usado para quem não acompanhou as tendências da modernidade.

Finalmente, os nomes de partes do corpo humano usados como palavrões hoje em dia são:

Clunes (bunda, nádegas, rabo, traseiro). É o nome de ambas partes carnudas e esféricas que ficam acima das coxas.

Culus (cu, ânus, nome do orifício final do intestino). Em latim, intestino é colon, vindo daí culus. Cu, portanto, é o intestino em sua parte terminal. Outro nome é Podex.

Cunnus (buceta, xoxota, xana, pitrica, ximbica, chavasca, xavasca, conas, nome da vulva ou vagina).
Daqui o cunilingua, o nome oficial do sexo oral que um homem realiza em uma mulher. Note também que um dos nomes vulgares é conas, provindo de cunnus.

Mamma (peito, teta, mama, seios, úbere, nome da parte do tronco entre o pescoço e o abdome).
Outros nomes são: Pectus e Sinus.

Mentula (caralho, pênis, pica, nome do órgão sexual masculino).
Outros nomes latinos são: Penis, Veretrum, Verpa. Há, também, Phallus, nome de origem grega.

Fontes: Paulo BarbosaEl Fisgón Histórico (em espanhol)

- Publicidade -

Você vai gostar também

- Publicidade -

Não perca nossas novidades!

Assine nossa newsletter e receba novidades e dicas grátis em seu email.

Muito bem! Confirme seu email e você receberá dicas em primeira-mão! :)