- Publicidade -

Novas línguas: Servo-Croata

Servo-Croata

A luta por fronteiras abandona as armas e vai ao dicionário. Para criar um idioma que possam chamar de seu, nações criam, matam em ressuscitam seu jeito de falar.

Caem as palavras que expressam ideias perigosas. Criam-se outras que anulam críticas ao Estado. E assim, no romance 1984 de George Orwell, a fala foi reduzida, modificada e condensada até virar a novilíngua – o idioma extremamente simplificado com o qual uma ditadura do futuro controlava o pensamento das pessoas.

Esse tipo de engenharia linguística não acontece apenas na ficção. Alguns governos, etnias e grupos de intelectuais também tentam reformar seus idiomas. Para quê? Não é que tenham planos maquiavélicos. Eles são Estados novos que tentar forjar uma identidade nacional. Se dá certo? É o que veremos.

Babel balcânica

Junto com a queda da Iugoslávia, o idioma servo-croata se dividiu em 4 línguas. Que continuam a mesma.

A professora croata Sandora Dembitza acaba de ser premiada. Seu mérito: criou a palavra zatipak, que significa “erro de digitação”. Não é que a sua língua sofresse da inexistência de um termo para isso. Mas o anterior, tipfeler, não era croata de pura cepa. Era derivado do alemão Tippfehler. E é para “limpar” a língua desse tipo de estrangeirismo que a revista literária Jazik dá todo ano um prêmio ao criador da “melhor nova palavra croata”.

Mas há um detalhe: não existe o idioma croata – do mesmo jeito que não existem o sérvio, o bósnio ou o montenegrino. “Do ponto de vista linguístico, o idioma falado nesses países é um só – aquele que na ex-Iugoslávia a gente chamava de servo-croata”, diz Dragana Radojevic, professora de filologia na Universidade de Belgrado, na Sérvia. “Hoje, ela tem vários nomes por motivos políticos. Mas só os mais nacionalistas os reconhecem.” Claro que cada linguajar desses possui variações, sobretudo no vocabulário e na pronúncia – tal como acontece com o português do Brasil.

Mas, com o desmantelamento da Iugoslávia nos anos 90, os países que surgiram dela têm aumentado pequenas diferenças para valorizar sua identidade. Não é pouco numa região dividida entre maioria católica na Croácia, muçulmana na Bósnia e ortodoxa na Sérvia e em Montenegro.

Na Croácia, o governo publica manuais para ensinar o público a falar o croata “correto”. É o caso da palavra srediste (“centro”), que deve ser usada no lugar de centar – encontrada em outras línguas eslavas. A Academia de Línguas de Montenegro foi mais prática: adicionou duas letras (s e z) ao seu alfabeto para suas palavras ficarem diferentes, sem precisar mudar o vocabulário. A Bósnia aproveitou a proximidade cultural com os turcos, que durante o domínio otomano haviam exportado palavras suas para o servo-croata, e passaram a dar preferência a elas.

Já na Sérvia não há novas palavras. Mas todos os documentos oficiais devem ser escritos em cirílico, embora no país se use também o alfabeto latino. “As pessoas comuns riem dessas medidas. Na Croácia, porém, são obrigadas a usar as “novas” palavras em artigos científicos e no âmbito burocrático. Caso contrário, não serão presas, mas podem ser tachadas de analfabetas ou incultas”, diz Dragana. “Mas se você escutar os croatas conversando entre si, vai ver que eles não falam da maneira que são obrigados a escrever. Como em todo lugar, os jovens gostam de games, música e internet. Portanto, gostam do inglês, sem pensar que, ao usá-lo, vão prejudicar o idioma ou perder sua identidade nacional.”

Servo-Croata

Cada país da ex-Iugoslávia tenta de uma forma criar seu próprio idioma

Croácia

Palavras estrangeiras são trocadas por termos eslavos já abandonados – ou por neologismos.

Pegou
Entrou – putovnica (“passaporte”)
Saiu – pasoš (de raiz latina)

Convive paralelamente
Permaneceu – računalo (“computador”)
Permaneceu – kompjutor (do inglês)

Não colou
Tenta entrar – kopnica (“aids”)
Permaneceu – aids

Montenegro

O que era escrito com sj e zj é escrito com ś e ź

Saiu – sjutra (“amanhã”)
Entrou – sutra

Saiu – kozji sir (“queijo de cabra”)
Entrou – koźi sir

Sérvia

Documentos oficiais passam a usar o alfabeto cirílico

Saiu – Srbija (Sérvia)
Entrou – CpϬиja

- Publicidade -