- Publicidade -

Gramática essencial da Língua Inglesa

Estátua da Liberdade

A língua inglesa é analítica, de formas pouco variáveis. A construção das frases segue estruturas muito rígidas, nas quais avultam múltiplas regras de sintaxe e uma morfologia muito reduzida. Um substantivo colocado antes de outro substantivo converte-se em adjetivo. Assim, por exemplo, school significa “escola” (technical school) ou “escolar” (school year).

Muitos substantivos – mas, atenção, não todos – podem ser empregados como verbos, o que pode levar ao aparecimento, em português, de alguns neologismos formados por analogia. Um exemplo, contact (contato) e to contact (entrar em contato, substituído pelo já consagrado “contatar”).

Há quem diga que os verbos ingleses são fáceis. Em certo sentido, isso é verdade, pois com um total de cinco formas (speak, speaks, spoke, spoken, speaking) forma-se praticamente todos os tempos que usamos na língua portuguesa, além de uma conjugação paralela que exprime a continuidade da ação. Esta aparente simplicidade serve muito bem aos propósitos da linguagem “telegráfica”, mas se transforma numa fonte de dificuldades para quem quer exprimir conceitos menos elementares.

Outra mixed blessing, ou mar de rosas não isento de espinhos, são os phrasal verbs, ou verbos acompanhados de preposição e que adquirem significados muito precisos. Um exemplo: to run, em seu significado mais comum, quer dizer “correr”: to run out of quer dizer “ficar sem”; to run up (a dress) quer dizer remendar às pressas (um vestido).

Dito isto, procuremos reduzir a pílula inodoras e insípidas as principais regras que regem esta língua de pronúncia “impossível”, mas que não pode ser ignorada nestes tempos de computadores, esportes, ciência e tecnologia, em que o inglês também é a língua de alguma das mais fascinantes canções e – temos de lembrar – de Shakespeare, Milton e Shelley. Estão dispostos a conhecê-la? Boa sorte!

Alfabeto

A, B, C, D, E, F, G, H, I, J, K, L, M, N, O, P, Q, R, S, T, U, V, W, X, Y, Z

Pronúncia

Em inglês, não existe uma correspondência constante entre as letras do alfabeto e sua pronúncia. Os sons da língua falada são mais de 40, enquanto as letras do alfabeto são apenas 26, de modo que alguns sons têm diferentes grafias. Os dicionários e gramáticas utilizam o alfabeto fonético internacional (IPA), estudado para representar com exatidão todos os sons da língua inglesa. Ele usa símbolos especiais cuja transcrição aqui seria muito enfadonha.

Elementos de gramática e de sintaxe

Substantivos

O substantivo tem três gêneros: masculino, feminino e neutro, são neutros todos os que não designam seres humanos ou animais. Com poucas exceções, forma-se o plural acrescentando-se um -s ao singular: book (livro), books (livros); dog (cão), dogs (cães); rose (rosa), roses (rosas).

Quando a ortografia e a pronúncia o exigem (nas palavras terminadas em -s -ch -sh, -x, -z e em alguma em -o), acrescenta-se -es: box (caixa), boxes (caixas).

Alguns substantivos de uso comum tem plural irregular. Eis os mais usados:

man (homem)men (homens)
woman (mulher)women (mulheres)
child (criança)children (crinças)
tooth (dente)teeth (dentes)
foot (pé)feet (pés)
mouse (rato)mice (ratos)
goose (ganso)geese (gansos)

Convém recordar mais uma vez a posição atributiva (ou adjetivo) do substantivo, na qual ele nunca é flexionado no plural. É típico do inglês o chamado caso possessivo, que se forma antepondo-se o nome do possuidor ao nome do objeto que lhe pertence: Tom’s house (a casa de Tom); the boys’ books (os livros dos rapazes).

Artigos

artigo definido (o, a, os, as) é the para os três gêneros e ambos os números. O artigo indefinido (um, uma; não tem plural) é a (ou an, antes de palavras começadas por vogal).

Uma das questões gramaticais mais espinhosos é a que diz respeito à definição dos casos em que se usa e não se usa o artigo definido em inglês. Por isso, está fora desta sinopse gramatical.

Adjetivos

adjetivo, felizmente, é invariável em gênero e número. Salvo raríssimas exceções, é sempre colocado antes do substantivo a que se refere. Quando se sucedem dois ou mais adjetivos, o mais qualificativo ocupa o lugar mais próximo do substantivo: a little red house (uma casinha vermelha).

Flexão em grau do adjetivo

Comparativo
De superioridade:

  • adjetivo (com uma ou duas sílabas) com sufixo -er + than;
  • more + adjetivo (com três ou mais sílabas) + than.

De inferioridade:

  • less + adjetivo + than

De igualdade:

  • as + adjetivo + as
  • not so + adjetivo + as (em frase negativa)

Superlativo

– relativo:

  • the + adjetivo (com uma ou duas sílabas) com sufixo -est
  • the most + adjetivo (com três ou mais sílabas)

– absoluto:

  • very + adjetivo

Pronomes pessoais e possessivos

Atenção: Na terceira pessoa do singular, o possessivo concorda em gênero com o possuidor, e não com a coisa possuída. O pronome da primeira pessoa do singular é I sempre grafado com maiúscula. No tratamento formal usa se you.

Pronomes pessoais

PessoaisPossessivosReflexivos
Sujeito
(eu, tu, etc.)
Complemento
(me, te, etc.)
Adjetivos
(meu, teu, etc.)
Pronomes
(o meu, o teu, etc.)
Imemyminemyself
youyouyouryoursyourself
hehimhishishimself
sheherherhersherself
itititsitself
weusouroursourself
youyouyouryoursyourself
theythemtheirtheirsthemselves

Adjetivos e pronomes demonstrativos

este, estathis
estes, estasthese
esse, essathat
esses, essasthose
aquele, aquelathat
aqueles, aquelasthose

Pronomes relativos e interrogativos

Ao pronome interrogativo qual corresponde também which. Por vezes, o pronome relativo fica subentendido: the book you lent me is interesting (o livro que você me emprestou é interessante).

RelativosInterrogativos
(que, o qual, etc.)(quem, que, etc.)
de pessoaswho / thatwho
de coisaswhich / thatwhat

Adjetivos e pronomes indefinidos

AdjetivosPronomes
algumsome, any *
alguémsomeone, somebody, anyone, anybody *
alguma coisa, algosomething, anything *
nenhumnonone
ninguémnobody, no one
nadanothing
todoallall
cadaevery, each
cada umeveryone, everybody
outrootherother, another
ambosbothboth
muitomuch (plural many), a lot ofmuch (plural many)
poucolittle (plural few)little (plural few)
qualquerany
qualquer pessoaanybody
qualquer coisaanything
talsuch

Advérbios e conjunções

Os mais comuns são:

comohow
ondewhere
porquewhy (interrogativo) because (frases casuais)
quandowhen
enquantowhile
antes de/quebefore
depois de/queafter
emboraalthough, though
quethat
seif, whether (interrogativas indiretas)
eand
ouor
masbut
tambémalso, too

São muito os advérbios de modo formados pela adição de -ly ao adjetivo: obvious (óbvio), obviously (obviamente). Os seguintes advérbios chamados, de frequência, são colocados entre o sujeito e o verbo nos tempos simples, entre auxiliar e o verbo nos tempos compostos e depois das formas simples de to be.

alwayssemprerarelyraramente
nevernuncasometimesàs vezes
oftenmuitas vezesusuallyhabitualmente

Preposições

Estas são as de uso mais frequente:

aat, to
antes debefore
atétill, until
atrás debehind
através de through, across
comwith
contraagainst
deof, from (proveniência)
depois deafter
desdesince
duranteduring
emat, in (dentro de), into (para dentro de)
em frente dein front of
em torno deabout, around
entrebetween (dois), among (três ou mais)
parato, for
para comtowards
perto denear
porby
sobunder, below (abaixo de)
sobreon (com contato), over, above (acima de)

Verbos

Tal como dissemos, os verbos Ingleses têm uma conjugação muito despojada, pois há apenas dois tempos não compostos: o presente e o passado. O presente simples exprime uma ação habitual ou repetida. Por exemplo, se dissermos she speaks french fluently damos a entender que alguém sabe falar fluentemente francês, e não que esteja falando naquele momento. Para exprimir-se o que se está fazendo em um dado momento, utiliza-se o presente contínuo: I am learning English.

O presente simples é igual a infinitivo sem a partícula to acrescido de -s (ou -es, segundo a regra do plural dos substantivos) na terceira pessoa do singular.

Em relação ao passado simples, os verbos dividem-se em “fracos”, ou regulares, que formam o passado e o particípio quando recebem a terminação -ed ou -d à formas do presente/infinitivo, e em “fortes”, ou irregulares, que formam o passado e o particípio de diversas maneiras, em geral modificando a vogal do radical (speak, spoke, spoken).

A particular to é o símbolo do infinitivo; contudo, não é usada quando o infinitivo é acompanhado de um verbo auxiliar ou de certos verbos defectivos.

Convém lembrar que – como, na prática, não a flexão verbal – é sempre necessário nomear ou sujeito; caso não haja o nome, usa-se o pronome pessoal correspondente. O gerúndio, que termina em -ing, é um substantivo verbal, como se vê pelos exemplos: seeing is believing (ver para crer); before going (antes de ir); instead of acting, he dreams (em vez de agir, ele sonha).

Verbos auxiliares e conjugação normal

O inglês tem vários verbos auxiliares. Além de to be (ser, estar) e to have (ter), empregam-se outros para formar o futuro, o condicional e as formas interrogativas e negativas.

AuxiliarAuxiliar
Infinitivoto be (ser, estar)to have (ter)
Particípiobeen (sido, estado)had (tido)

Presente simples (sou, estou, tenho, etc.)

Iamhave
you, we, theyarehave
he, she, itishas

Passado simples (era, fui, tive, tinha, etc.)

Iwashad
you, we, theywerehad
he, she, itwashad

 

Verbo fracoVerbo forte
Infinitivoto live (viver)to speak (falar)
Particípiolived (vivido)spoken (falado)

Presente simples (vivo, falo, etc.)

I, you, we, theylivespeak
he, she, itlivesspeaks

Passado simples (vivi, vivia, falei, falava, etc.)

I, you, he, shelivedspoke
it, we, they

Futuro (viverei, falarei, etc.)

I, weshalllive
speak
he, she, it, you, theywill

Condicional (viveria, falaria, etc.)

I, weshouldlive
speak
he, she, it, you, theywould

Passado contínuo

O passado contínuo é sempre construído com o auxiliar to have e o particípio do verbo: I have lived (tenho vivido), he has spoken (ele tem falado).

No futuro também se emprega a chamada forma going to, construção formada pelo presente contínuo de to go (ir) seguido do infinitivo do verbo: I am going to write to you this evening (vou escrever a você nesta tarde). Usa-se sobretudo quando existe a intenção (ou fortes probabilidades) de realizar a ação.

Forma em -ing

Como dissemos, quando se pretende indicar que uma ação está acontecendo no momento em que se faz a referência, emprega-se em inglês uma construção verbal especial: auxiliar to be seguido do verbo com a desinência -ing: he is speaking (ele está falando); they were writing (eles estavam escrevendo).

Forma negativa e forma interrogativa

Também para estas formas se recorre nos tempos simples a um auxiliar (do/does no presente, did no passado), enquanto nos tempos compostos se conserva auxiliar da forma positiva.

Forma negativa

sujeitoauxiliar + negaçãoverbo
I, you, we, theydo not
did not
speak
have notspoken
he, she, itdoes not
did not
speak
has notspoken

Forma interrogativa

auxiliarsujeitoverbo
do
did
I, you, we, theyspeak?
does
did
he, she, it
haveI, you, we, theyspoken?
hashe, she, it

O mesmo vale para o futuro e para a forma em -ing. You will speak. You will not speak. Will you speak? He is speaking. He is not speaking. Is he speaking?

Na língua falada empregam-se algumas formas abreviadas de auxiliar e elemento de negação:

are notaren’tcan notcan’t, cannot
is notisn’tcould notcouldn’t
have nothaven’tshall notshan’t
has nothasn’twill notwon’t
do notdon’tshould notsouldn’t
does notdoesn’twould notwouldn’t
did notdidn’t

Outros verbos auxiliares

PresentePassado
cancouldpoder, ser capaz
maymightpoder, ter permissão
mustdever, ter de

Verbos fortes

Esta lista dos mais usuais apresentam-se o infinitivo, o passado e o particípio de cada verbo, assim como um ou dois significados correntes em português:

to bear (levar, suportar)boreborne
to become (tornar-se)becamebecome
to begin (começar)beganbegun
to break (partir, quebrar)brokebroken
to bring (trazer)broughtbrought
to build (construir)builtbuilt
to buy (comprar)boughtbought
to choose (escolher)chosechosen
to come (vir)camecome
to cut (cortar)cutcut
to draw (tirar)drewdrawn
to drink (beber)drankdrunk
to drive (guiar)drovedriven
to eat (comer)ateeaten
to fall (cair)fellfallen
to feel (sentir)feltfelt
to find (encontrar)foundfound
to fly (voar)flewflown
to forget (esquecer)forgotforgotten
to get (obter)gotgot
to give (dar)gavegiven
to go (ir)wentgone
to grow (crescer)grewgrown
to hear (ouvir)heardheard
to hold (segurar)heldheld
to know (saber)knewknown
to learn (aprender)learntlearnt
to leave (deixar, sair)leftleft
to let (deixar, permitir)letlet
to make (fazer)mademade
to meet (encontrar)metmet
to pay (pagar)paidpaid
to put (pôr)putput
to read (ler)readread
to rise (erguer-se)roserisen
to run (correr)ranrun
to say (dizer)saidsaid
to see (ver)sawseen
to sell (vender)soldsold
to send (enviar)sentsent
to set (colocar)setset
to show (mostrar)showedshown
to shut (fechar)shutshut
to sing (cantar)sangsung
to sit (sentar-se)satsat
to sleep (dormir)sleptslept
to speak (falar)spokespoken
to spend (passar, gastar)spentspent
to steal (furtar)stolestolen
to swim (nadar)swamswum
to take (tomar)tooktaken
to teach (ensinar)taughttaught
to tell (dizer)toldtold
to think (pensar)thoughtthought
to throw (lançar)threwthrown
to understand (entender)understoodunterstood
to wear (usar, vestir)woreworn
to write (escrever)wrotewritten

- Publicidade -

Artigos recomendados