- Publicidade -

Uso dos Numerais no Esperanto

Os numerais básicos em Esperanto são:

1 – UNU

2 – DU

3 – TRI

4 – KVAR

5 – KVIN

6 – SES

7 – SEP

8 – OK

9 – NAŬ

10 – DEK

100 – CENT

1000 – MIL

Estes número não variam, ou seja, não sofrem mudanças. São escritos sempre da mesma forma.

Os números que vê após o dez na sequencia (onze, doze, treze, etc.) são representados, em português, por palavras diferentes, mas em Esperanto, basta acrescentar ao dez um número, cuja soma resulta no valor desejado, como nos exemplos abaixo:

11 – DEK UNU (dek + unu)

12 – DEK DU (dek + du)

13 – DEK TRI (dek + tri)

14 – DEK KVA(dek + kvar)

Para escrever dezenas maiores que dez (vinte, trinta, etc.), junte o número que multiplica a dezena, colocando antes da palavra DEK:

20 – DUDEK (du x dek)

30 – TRIDEK (tri x dek)

Observações: A pronúncia destes números não é *DUDEK, *TRIDEK mas sim DUDEK, TRIDEK, com acento tônico sempre na penúltima sílaba.

Em um número como 59, por exemplo, deverão ser feitas as duas operações vistas acima, visto que a lógica é utilizada:

59 – KVINDEK NAŬ (kvin x dek + naŭ) / (kvindek + naŭ)

CEM

Para representar números seguintes ao número cem na sequência (cento e um, cento e dois, etc.) os quais, em português, são representados por palavras diferentes, fazemos o mesmo para os números imediatamente após o dez: basta colocar o número que será somado com cem logo em seguida, como nos exemplos abaixo:

101 – CENT UNU (cent + unu)

102 – CENT DU (cent + du)

105 – CENT KVIN (cent + kvin)

Da mesma forma, para escrever dezenas maiores que cem (duzentos, trezentos, etc.), junte o número que multiplica a centena, colocando antes da palavra CENT:

200 – DU CENT (du x cent)

300 – TRI CENT (tri x cent)

Observação: A pronúncia desdes números não é *DUCENT, *TRICENT mas sim DUCENT, TRICENT, com acento tônico sempre na penúltima sílaba.

MIL

Em geral, escrevamos números maiores que mil separando-os por um ponto após o número que representa o milhar. Por exemplo:

1.978 (Mil novecentos e setenta e oito)

Eis a dica para escrever números maiores do que MIL, em Esperanto: o número MIL é escrito separado dos demais, como se fosse o ponto que separa os milhares:

1.978 – MIL NAŬCENT SEPDEK OK

Para escrever número como 2.000 (dois mil), 13.000 (treze mil), 50.000 (cinquenta mil), 200.000 (duzentos mil) e outros, basta separá-los como faz este ponto nos algarismos. Em seu lugar, deve ser escrita a palavra MIL:

2.000 – DU MI(du+ mil)

13.000 – DEK TRI MI(dek + tri + mil)

50.000 – KVINCENT MIL (kvin x dek + mil)

200.000 – DUCENT MIL (du x cent + mil)

Números Cardinais

Em português, as palavras que usadas para expressar os números em uma ordem (ordinais), em geral, são completamente diferentes dos números básicos, usadas para expressar quantidades (cardinais). Neste caso, eles podem ser usados, inclusive, no masculino e no feminino:

1 – Um / 1º Primeiro / 1ª Primeira

2 – Dois / 2º Segundo / 2ª Segunda

3 – Três / 3º Terceiro / 3ª Terceira

Em Esperanto, para formar os números em uma sequência (ordinais), basta colocar a letra A junto do número correspondente:

1 – UNU/ 1º UNUA / 1ª UNUA

2 – DU / 2º DUA / 2ª DUA

3 – TRI / 3º TRIA / 3ª TRIA

Observação Interessantes:

  1. A letra A que vem depois dos numerais básicos é a mesma que vem no final das palavras que qualificam as ideias (adjetivo). Desse modo, a ordem numérica nada mais é do que uma característica do número.
  2. Em Esperanto, não há gêneros. A raiz representa uma ideia. Portanto, os números ordinais escritos em palavras masculinas ou femininas em Esperanto, são os mesmo. O que prevalece é a função que a raiz exerce quando está em uma classe de palavras.

Desse modo, uma expressão como UNUA LIBRO, representa LIBRO (libro) em uma ordem numérica. Não é necessário saber se LIBRO é masculino ou feminino, em Esperanto. A palavra que termina com a letra A tem a função de caracterizá-la. Nesse caso, a palavra UNUA poderia ser usada também junto a nome que, em português, seria feminino.

Como essa palavra termina com A, ela admite plural (letra J) no final dela:

UNUAJ LIBROJ – Primeiros livros

Observações: Podemos formar adjetivos a partir dos numerais básicos, assim como podemos formar a partir deles quaisquer classes de palavras. Exemplos:

UNUO – unidade / DEKO – dezena / CENTO – centena / MILO – milhar.

Outros tipos de numerais

Multiplicativos

Para representar números multiplicativos (duplo, triplo, etc.), colocamos o sufixo OBL, intercalado entre o numeral e a vogal da classe de palavra:

DUOBLO – dobro / DUOBLA – duplo, dupla

TRIOBLO – triplo / TRIOBLA – triplo, tripla

Fracionários

Para representar números fracionários, ou frações (meio, metade, terço, etc.), colocamos o sufixo ON, intercalado entre o numeral e a vogal da classe de palavra:

DUONO – meio (metade) / DUONA – meio, meia

TRIONO – terço / TRIONA – terço, terça

Coletivos

Para representar números coletivos, que representam agrupamentos (dupla, grupo de dois, trio, grupo de três, etc.), colocamos o sufixo OP, intercalado entre o numeral e a vogal da classe de palavra:

DUOPO – dupla (grupo de dois) / DUOPA – algo disposto em um grupo de dois.

TRIOPO – trio (grupo de três) / TRIOPA – algo disposto em um grupo de três.

Distributivos

Para representar números distributivos, colocamos a palavra PO (preposição que significa “à razão de”) antes do numeral. Ela pode, inclusive, não ser traduzida:

PO DU – à razão de dois.

PO TRI – à razão de três.

PO kvin horoj tage – (à razão de) Cinco horas por dia.

PO cent kilometroj tage – (à razão de) Cinco quilômetros por hora.

Mi donis al miaj infanoj PO tri pomoj – Eu dei a minhas crianças (à razão de) três maçãs. (para cada uma).

Al ĉiu el miaj lernantoj mi donis PO tri krajonoj – Para cada um dos meus alunos eu dei três lápis.

Curiosidades

Quando Zamenhof planejou o Esperanto, ele desejava extrair os melhores aspectos possuídos pelas línguas. A lógica utilizada para formar os numerais é muito próxima da existente em línguas do Extremo Oriente (chinês, japonês, etc.).

Todos os numerais ordinais em Esperanto vêm dos numerais básicos. Quando temos que formar esses números a partir de outros muito grandes, em português devemos usar palavras totalmente diferentes, se quisermos expressá-laos por extenso, além de fazermos a concordância com o masculino ou com o feminino. Exemplo: 365º – tricentésimo sexagésimo quinto ou 365ª – tricentésima sexagésima quinta.

Para abreviá-los, basta colocar uma letra A (com ou sem hífen antes dela) ao lado do número: como se falássemos o número inteiro e acrescentássemos a ele a letra A. Exemplo: 365-a – TRICENT SESDEK KVINA

O número zero (0), em Esperanto, é NULO.

- Publicidade -

Artigos recomendados