- Publicidade -

Em todos os idiomas predominam as palavras alegres sobre as tristes

Segundo os cientistas da Universidade de Vermont, existe uma tendência universal em utilizar expressões positivas mais que expressões negativas. Os cientistas aplicaram os recursos do Big Data para verificar a ocorrência de milhões de palavras, em centenas de idiomas.

A equipe, dirigida pelo matemático Peter Dodds, demonstrou a chamada Hipótese Pollyana, formulada por dois psicólogos na década de 60. Segundo essa fórmula,  as pessoas tendem a falar mais coisas positivas, a falar mais das coisas boas da vida. Tal hipótese, vinda de 1969, de uma pesquisa da Universidade de Illinois, ganhou um reforço, agora, da Universidade de Vermont. O estudo recente de Vermont tem um privilégio: toda a base de dados da Internet à disposição.

O computadores da universidade analisaram títulos de filmes árabes, twitters de coreanos, nome de novelas russas, páginas de internet em chinês, letras de músicas em inglês e até manchetes de jornais do mundo, e em vários idiomas. Assim os pesquisadores chegaram a conclusão que em todos os idiomas, predomina o uso de palavras positivas. Ao que parece, o senso comum que diz que os “latinos” ou os brasileiros são “os povos mais felizes” acertou em cheio.

Veja a seguir o ranking:

1 Espanhol – Sites em geral
2 Espanhol – Google Books
3 Espanhol – Twitter
4 Português – Sites em geral
5 Português – Twitter
6 Inglês – Google Books
7 Inglês – New York Times
8 Alemão – Sites em geral
9 Francês – Sites em geral
10 Inglês – Twitter
11 Indonésio – Legendas de filmes
12 Alemão – Twitter
13 Russo – Twitter
14 Francês – Google Books
15 Alemão – Google Books
16 Francês – Twitter
17 Russo – Legendas de TV e filmes
18 Árabe – Legendas de TV e filmes
19 Indonésio – Twitter
20 Coreano – Twitter
21 Russo – Google Books
22 Inglês – Letras de músicas
23 Coreano – Legendas de filmes
24 Mandarim – Google Books

- Publicidade -

Artigos recomendados