Semelhanças entre francês e português

O francês e o português são línguas bem diferentes. Para um brasileiro, é sem dúvidas mais fácil compreender uma pessoa que fala espanhol do que outra que fala o idioma de Napoleão.

Mesmo a língua espanhola, compreendemos quando se fala de forma pausada. No entanto, se não dominamos a língua da França, então é melhor nem tentar conversar com um nativo.

Calma, não se desespere e não perca a esperança em um dia falar um bom francês, pois temos uma vantagem no aprendizado desta língua: tanto ela quanto o português possuem suas bases no latim. Ou seja, várias palavras são altamente parecidas, o que facilita muito a vida na hora de memorizar o vocabulário.

Nunca é do dia para noite que se aprende um novo idioma. Para dominar uma segunda (ou terceira) língua, é necessário muita dedicação e prática. No entanto, a tarefa se fica um pouco mais fácil quando existem pontos em comum entre a língua materna do aprendiz e a nova a ser assimilada.

Entre a língua francesa e a portuguesa, podemos também encontrar alguns aspectos parecidos. Vamos tentar mostrar aqui alguns pontos em comum entre as duas línguas e seus aspectos linguísticos.

Cultura latina é uma base comum

Antes de começar o aprendizado do francês ou de conhecer o vocabulário que se assemelha ao português, é importante entender porque tais semelhanças existem.

A resposta pode ser encontrada na origem dos dois idiomas: o latim. Assim como o espanhol, o italiano e o romeno, o português e o francês descendem desta antiga língua.

Façamos uma pequena viagem no tempo, mais especificamente na época da queda do império romano. Durante este período, variantes do latim começaram a se disseminar por toda a Europa, principalmente entre os séculos VI e IX. Foi igualmente nesta época que o francês e o português foram se espalhando pelo mundo devido aos movimentos de colonização.

Semelhanças gerais

As línguas latinas se desenvolveram e ganharam versões distintas, mas sempre mantendo a mesma base. Confira algumas das semelhanças gerais entre a maioria dos idiomas latinos e mais especificamente entre o português e o francês.

Alfabeto

Ponto comum que facilita o aprendizado da língua francesa por lusofônicos é o fato de ambos os idiomas apresentarem o mesmo alfabeto. Nosso abecedário possui 26 letras, que vão de A a Z, tornando o sistema de escrita das duas línguas exatamente igual.

Imagine como deve se passar o aprendizado do japonês, russo ou chinês? Além de uma nova língua, aprender um novo alfabeto com uma lógica de utilização completamente diferente deve ser imensamente mais complicado!

Acentuação

As regras de acentuação, no entanto, são diferentes, assim como certos acentos. Nossa crase é utilizada apenas sobre a letra “a” e não possuímos mais a trema. No francês, o “til” não existe e a crase e a trema são utilizadas com frequência.

Sintaxe

A estrutura frasal – ou seja, a sintaxe – do francês e do português é outro ponto a ser acrescentado à lista de semelhanças entre os idiomas. Sendo assim, seguir o mesmo esqueleto “sujeito + verbo + complemento” (o famoso sujeito e predicado que aprendemos na escola) descomplica bastante a vida do aprendiz!

Outras regras

Outras regras são bem parecidas quando se trata de línguas de descendência latina. Por exemplo:

  • Existência de vários tipos de tempos verbais no passado;
  • Conjugações que variam em função da pessoa (1a., 2a. ou 3a. no singular e no plural);
  • Concordância entre gênero e número.

Essas estruturas são fáceis a serem assimiladas por um estudante de francês que possui o português como língua nativa, já que o mesmo acontece em ambos os idiomas. Seguindo aulas regulares da língua de Molière e se dedicando ao aprendizado, o aluno lusofônico se tornará bilíngue antes mesmo do esperado!

A barreira mais árdua a ser superada na assimilação do francês por brasileiros é a da expressão oral. A fonética francesa é muito diferente da portuguesa e algumas palavras mudam completamente de sentido quando a letra “e” ou “o” não é pronunciada da maneira correta. A diferença na pronúncia pode ser bem sutil. Tão sutil que nossos ouvidos muitas vezes não a percebem. Mas para um nativo da língua, ela faz toda a diferença!

Palavras francesas similares ao português

Sem mesmo nos darmos conta, muitas vezes utilizamos palavras de origem francesa no nosso dia-a-dia.

Se você já visitou algum país francofônico, seja por lazer, a trabalho ou para estudos, com certeza se deu conta de que era capaz de compreender muitas palavras. Principalmente quando escritas (oralmente, o sotaque pode dificultar um pouco as coisas).

Você sabia que “bidê” e “abajur” são palavras utilizadas para definir exatamente os mesmos objetos tanto no Brasil quanto na França? Sim, herdamos esses dois substantivos dos amigos franceses. Muitas outras palavras são parecidas. Na maioria das vezes, o que muda são os sufixos, mas a raiz continua a mesma.

Verbos

Existem vários verbos na língua francesa que, quando escritos no infinitivo, mostram semelhança gritante com o português. Conheça alguns deles:

escrever – écrire
ler – lire
fumar – fumer
começar – commencer
assistir – assister (no sentido de “ajudar”)
recompensar – récompenser
ver – voir
estudar – étudier
vender – vendre
exercitar – exerciter
terminar – términer
avançar – avancer
morrer – mourir
abater – abattre
abandonar – abandonner
descer – descendre
dar – donner
dançar – danser
fazer – faire
fabricar – fabriquer
e muitos outros!

Substantivos e adjetivos

Obviamente, existem também vários substantivos franceses que podem ser facilmente compreendidos por um lusofônico. Alguns deles são:

cabana – cabane
alho – ail
cabo – cable
fábrica – fabrique
fácil – facile
fabuloso – fabuleux
fácil – facile
facial – faciale
árvore – arbre
ganhador – gagnant
habilitação – habilitation
habitável – habitable
laboratório – laboratoire
labirinto – labyrinthe
lago – lac
lição – leçon
macabro – macabre
nascimento – naissance
obediência – obédience
oblíquo – oblique
obscuro – obscur
dentre outros…

Palavras francesas praticamente idênticas ao português

Poderíamos dizer que as palavras abaixo são idênticas tanto no português quanto no francês. No entanto, estaríamos mentindo, pois a grafia delas é ligeiramente diferente. Isso se dá ao fato da fonética das letras mudar de um idioma para outro.

Se no quesito ortografia, as palavras abaixo se diferem ligeiramente; no quesito fonética e significado, elas são praticamente idênticas. Isso quer dizer que se você chegar em um país francofônico e pronunciar qualquer uma dessas palavras como em português, a pronúncia estará correta!

cabaret – cabaret (o “R” no francês tem som de “RR”)
bidê – bidet
abajur – abajour
maçon – maçon
gafe – gaffe
quadrimestre – quadrimestre (mesmo problema com a pronúncia do “R”: ele é um pouco mais fechado em francês que em português)

Os falsos cognatos

“Cognatos são palavras que possuem a mesma origem, tendo portanto, ortografias semelhantes. Com a evolução de cada idioma, algumas palavras podem apresentar significados diferentes para cada país.”- Info Escola

Os falsos cognatos são também chamados de falsos amigos em algumas línguas e o francês é uma delas (“faux amis”). Isso porque pensamos que conhecemos a palavra, pois ela é idêntica (ou quase idêntica) a palavras que possuímos na nossa própria língua. A “falsidade do amigo” está no significado, pois eles são completamente diferentes na língua francesa e portuguesa. Conheça alguns deles:

cabine – cabinet

No francês, cabinet pode significar o consultório de um médico ou uma sala de estudos, como um escritório. Já no português, “cabine” só significa pequenos espaços determinados, como cabine de foto ou cabine de avião.

entender – entendre

Em português, quando entendemos algo, quer dizer que compreendemos. Já em francês, comprendre e entendre são duas coisas completamente diferentes. Comprendre possui o mesmo significado que em português. Já entendre quer dizer “escutar”.

bufar – bouffer

O dicionário Michaelis da língua portuguesa dá diversas definições para bufar: expelir, geralmente de maneira ruidosa, o ar inspirado, pelo nariz e/ou pela boca; bufir; expelir ar, vapor ou fumaça; protestar veementemente; enfurecer-se; soltar bufas; peidar. Já na língua francesa, bouffer é uma maneira bem informal de se dizer “comer”.

avis – aviso

Enquanto dar um aviso em português significa alertar ou passar uma informação importante, em francês, quando alguém “dá seu avis” quer dizer que a pessoa dá a sua opinião sobre determinado assunto.

macarrão – macaron

Quem não gosta de comer um bom macarrão que atire a primeira pedra. Mas se você chegar na França e pedir um macaron, você vai receber pequenos doces bem açucarados, como se fossem suspiros molengas e com recheio.

depois – depuis

Depuis em francês não tem a nada a ver com “depois”, já que a tradução correta é “a partir de”.

pente – pente

Se você quiser comprar um pente de cabelo em um país francofônico, é preciso pedir um peigne. Pente em francês quer dizer “descida”.

sobre – sobre

O que colocamos sobre a mesa aqui, é colocado sur la table na França. Sobre, para os francofônicos, é sinônimo de “sóbrio”.

né – né

Francês é uma língua cheia de falsos amigos, né? Sendo assim, né para os franceses quer dizer “nascido”!

chute – chute

Se você pedir para alguém dar um chute em algo em um país francofônico, a pessoa não vai entender nada, pois, para eles, chute significa “caída”.

auge – auge

Enquanto para nós, estar no auge é estar no topo, para os franceses auge não passa de um recipiente onde água e comida são servidos aos animais.

a miséria – la misère

Ah, a miséria no Brasil pode estarrecer muitos. No entanto, quando se diz Ah, la misère em francês, é porque se quer dizer que algo é muito difícil de ser feito. Tipo, “Ah, é la misère andar de metrô no horário de pico”.

portanto – pourtant

Enquanto o “portanto” em português indica a conclusão de um raciocínio, o pourtant em francês marca a oposição entre duas frases ou palavras.

Publicado por Camila em Similitudes entre o idioma da França e a língua do Brasil