Desde o termo japonês para o medo de que o pinto esteja encolhendo, o que não falta é palavra com significado maluco no mundo! Confira a lista dos vocábulos mais diferentões do planeta.

Dois em um

Já pensou numa só palavra para dizer “nada” e “tudo”? Pois em zarma, dialeto nigeriano, o vocábulo hay kulu significa “nada”, “tudo” e “qualquer coisa”! Veja outros casos bizarros em que coisas opostas são expressas por um único termo

• Irpadake (em télugo, dialeto indiano) maduro e verde

• Sitoshna (em télugo) frio e quente

• Merripen (em romani, língua cigana) vida e morte

• Danht (em vietnamita) igreja e bordel

• Magazinschik (em russo) lojista e ladrão de lojas

Palavrório-cruzado

Puccekuli

“Dente que nasce após os 80 anos”, em télugo, dialeto indiano

Neko-neko

Em indonésio, alguém que tem uma ideia criativa que só piora tudo

Backpfeifengesicht

Em alemão, um cara que merece um soco

Paski

Em télugo, dialeto indiano, castigar uma criança obrigando-a a se sentar e depois se levantar segurando as orelhas com os braços cruzados

Umjayanipxitütuwa

“Eles é que me fizeram beber”, desculpinha fajuta usada em aimara, idioma falado na Bolívia e no Peru

Mamihlapinatapei

Em fueguino, dialeto chileno, o olhar de desejo mútuo em que ambas as partes sabem o que querem, mas não dão o primeiro passo

Linti

Em persa, um vida-mansa que passa o dia todo embaixo de uma árvore, sem fazer nada

Tingo

No idioma rapanui, da ilha de Páscoa, pedir emprestado as coisas de um amigo até o coitado ficar sem nada

Egkoniomai

Em grego antigo, jogar areia sobre si mesmo

‘Akapu’aki’aki

“Arrotar sem parar”, em maori, idioma falado na polinésia

Kontal-kontil

Em malaio, o balanço dos brincos ou o sacudir do vestido de uma mulher quando ela anda

Iktsuarpok

Em inuíte, idioma dos esquimós, o ato de ir muitas vezes à porta para ver se um convidado chegou

Olfrygt

Em dinamarquês arcaico, da época dos vikings, o medo de faltar cerveja

Nedovtipa

Alguém que não entende uma indireta, em checo

Koro

Em japonês, o medo histérico de que o próprio pênis esteja encolhendo para dentro do corpo – oucht!

Vomitarium

Em latim, a sala onde um convidado vomita para esvaziar o estômago e voltar a encher a pança

Daraba

A parte líquida do excremento da galinha, em ulwa, dialeto nicaraguense

Nakhur

Em persa, uma camela que não dá leite enquanto não fazem cócegas em suas narinas

Cadê a legenda?

Confira a lista das dez palavras mais difíceis de traduzir

“Saudades, só portugueses conseguem senti-las bem. Porque têm essa palavra para dizer que as têm.” O poeta Fernando Pessoa sabia do que falava ao escrever esses versos. É que “saudade” só rola com quem tem o português como língua materna. Os gringos têm que se virar com aproximações como miss (“sentir falta”, em inglês) e regret (“pesar”, em francês) na hora de descrever o sentimento. Não à toa, em 2004, o vocábulo foi eleito o sétimo mais difícil de traduzir, numa pesquisa com mil tradutores de todo o mundo. Veja as outras palavrinhas mais intraduzíveis do planeta:

• Ilunga (em tshiluba, dialeto do Congo) alguém capaz de perdoar uma ofensa pela primeira vez, de tolerá-la uma segunda vez, mas nunca uma terceira

• Shlimazl (em iídiche) aquele que tem má sorte crônica

• Radioukacz (em polonês) pessoa que trabalhou como telégrafo para os movimentos de resistência no lado soviético da cortina de ferro

• Naa (em japonês) termo usado para enfatizar afirmações ou para concordar com alguém

• Altahmam (em árabe) designa um tipo de tristeza profunda

• Gezellig (em holandês) algo entre acolhedor, íntimo e agradável

• Selathirupavar (em tâmil, idioma do Sri Lanka) substantivo para designar o ato de cabular muitas aulas

• Pochemuchka (em russo) pessoa que faz muitas perguntas

• Klloshar (em albanês) tipo de perdedor