“A vírgula, essa porta giratória do pensamento” disse certa vez um poeta. Alguns a empregam onde não deveriam, outros deixam de empregá-la onde era necessária. A tão importante vírgula pode mudar uma ideia; pode dar ou o tirar sentido de uma frase. Usa-se a vírgula nos seguintes casos:

Intercalações

Usa-se vírgula para marcar a intercalação:
a) Do adjunto adverbial – ex: Saiu, naquela manhã, para assumir o novo posto.
b) Da conjunção – ex: Sabia, todavia, que não poderia mais retornar.
c) Dos termos explicativos ou corretivos – ex: Ele era um homem dedicado, isto é, não faltava nunca.

Inversões

Usa-se vírgula para marcar a inversão:

a) Do adjunto adverbial – ex: Pela manhã, ele saiu para comprar pão.
b) Dos objetos pleonásticos antepostos – ex: Às crianças, toda atenção lhes deve ser dada.
c) Do nome do lugar antes da data – ex: Brasília, 25 de janeiro de 2015.

Termos coordenados

Usa-se vírgula para separar termos coordenados em uma enumeração.

ex: Foi à feira comprar feijão, laranja, carne e verduras.

Elipse verbal

Usa-se vírgula para marcar a elipse verbal.

ex: Joana foi ao cinema e Maria, ao teatro.

A elipse é usada para evitar a repetição de palavras.

Aposto

Usa-se vírgula para separar o aposto.

ex: Dom Pedro I, imperador do Brasil, teve um papel histórico importante.

O aposto é um termo que explica, delimita ou especifica um substantivo.

Vocativo

Usa-se a vírgula para separar o vocativo.

ex: Ó meu Deus, não entendo por que encontro tantas dificuldades em minha vida.

O vocativo é utilizado para fazer um chamamento ou interpelação.

Para utilizar bem a vírgula, é importante conhecer bem a ordem direta:

Sujeito + Verbo + Complemento Verbal
Sujeito + Verbo de Ligação + Predicativo

Confira também o artigo O Poder da Vírgula com regras mais detalhadas do uso da vírgula