Por que a maria-fumaça tem este nome?

1.571

O termo “maria-fumaça” surgiu no século XX para designar a locomotiva a vapor. “Em vários idiomas, é frequente os nomes próprios mais difundidos adquirirem a função de adjetivos ou substantivos”. No Português, muitos destes nomes passam a fazer parte de substantivos compostos, como, a maria-vai-com-as-outras, o joão-de-barro, o joão-bobo e o joão-ninguém.

Como surgiu a Maria-Fumaça?

A Locomotiva a vapor é uma locomotiva propulsionada por um motor a vapor que compõe-se de três partes principais: a caldeira, produzindo o vapor usando a energia do combustível, a máquina térmica, transformando a energia do vapor em trabalho mecânico e a carroçaria, carregando a construção. O vagão-reboque (também chamado “tender”) de uma locomotiva a vapor transporta o combustível e a água necessários para a alimentação da máquina.

As primeiras locomotivas apareceram no século XIX sendo o mais popular tipo de locomotiva até ao fim da Segunda Guerra Mundial.

No Brasil as locomotivas a vapor receberam o apelido de “Maria-Fumaça” em virtude da densa nuvem de vapor e fuligem expelida por sua chaminé, sendo que no final do século XIX e início do século XX, os matutos e caipiras, davam-lhe o nome de “Balduína”, uma corruptela de Baldwin, a marca das locomotivas de origem norte-americana, usadas na época.

Como Maria sempre foi um nome popular em todos os lugares por onde a máquina passava, o povo se acostumou a dizer: “Lá vem a Maria fazendo fumaça”

- Publicidade -

Artigos recomendados