Cocada de coco, do nome da personagem infantil inventada para aterrorizar as crianças, também conhecida no Brasil por Cuca, mais o sufixo “ada”, comum na formação de palavras, menos a voga final de coco.

Designa doce feito de coco ralado e açúcar ou calda de açúcar, cozido até adquirir consistência firme, cortado de variadas formas. E está presente na expressão rei ou rainha da cocada preta, surgida depois da vinda da família real para o Brasil, em 1809.

O rei tinha o privilégio de comer as primeiras cocadas pretas, as mais saborosas, e só depois os nobres podiam servir-se. O brasileiro, muito debochado, passou a usar a frase para vingar a arrogância de quem queria sobrepor-se aos outros, como se rei fosse.