Um salto na fluência do software de linguagem do Google vai ajudar nos esforços de tornar as traduções cada vez mais confiáveis.

O Google Tradutor completou dez anos de operação esse ano e muita coisa mudou nos bastidores do serviço. No início, o serviço dependia apenas de tradução de máquina baseada em frases, o que já era mais eficiente que traduzir palavra por palavra, como faziam outros tradutores mais simples. Agora, o Google está colocando para funcionar sua tecnologia de tradução por redes neurais — e a qualidade é bem próxima das traduções feitas por humanos.

A companhia está reestruturando seu serviço de tradução depois que pesquisadores do Google inventaram um sistema que é significativamente mais aprimorado.  Em uma competição entre o novo software da Google e tradutores humanos, o software chegou perto de igualar a fluência dos humanos em alguns idiomas, principalmente quando a tradução se deu do inglês para o espanhol e vice-versa.

O Google já começou a desenvolver o novo sistema de traduções do Chinês para o Inglês e a empresa espera substituir completamente seu atual sistema de tradução muito em breve, tornando a leitura de páginas ou troca de mensagens entre idiomas uma barreira quase imperceptível para as pessoas, e isso pode ajudar milhares de pessoas ao redor do mundo a se comunicarem melhor.

O pesquisador do Google Quoc Le diz que essa grande atualização de tradução do Google pode também levar a melhorar as relações entre pessoas e máquinas. Quoc Le foi um dos 35 inovadores da revista de tecnologia MIT de 2014.

O novo sistema de tradução podem ajudar pessoas a terem acesso a mais informações  e a estudos mais completos em várias áreas do conhecimento, aumentando as possibilidades de pesquisas, já que a barreira do idioma vai ficando cada vez menor.

Esse novo sistema de tradução foi concebido usando uma técnica conhecida como deep learning (aprendizado profundo), que usa redes de funções matemáticas inspirada em estudos recentes sobre os cérebros de mamíferos (veja “10 Breakthrough Technologies 2013: Deep Learning” – em inglês)

Os recentes avanços do Google podem tornar o mundo menor

Os grandes investimentos em inteligência artificial dos últimos anos possibilitaram notáveis avanços na área como a de reconhecimento de fala. E desde 2014 os pesquisadores do Google investigam o quanto a aprendizagem profunda também pode influenciar nas traduções.

Um trabalho liberado pelo Google inclui resultados de tradução do inglês para o espanhol, francês e chinês, e de cada uma desses idiomas para o inglês. E quando se pede a uma pessoa fluente em dois idiomas para comparar o trabalho do novo sistema do Google com a tradução humana, essas pessoas costuma não conseguir ver diferença.

Os participantes usam uma escala de 0 a 6 para avaliar a fluência das traduções de 50 frases tiradas aleatoriamente da Wikipedia.  Do inglês para o espanhol, o novo sistema do Google pontuou em média 5.43, não muito distante dos 5.55 dados às traduções humanas.  O novo sistema do Google também pontuou perto dos tradutores humanos quando se trata de traduções do francês para o inglês.

O antigo software de traduções do Google não chegava nem perto da performance humana, o ganho de desempenho e a pontuação do atual é entre 64 a 87% maior. O novo software aprende a traduzir tomando como exemplo documentos em diferentes idiomas e tem independência para seguir seu próprio caminho de aprendizagem, sem seguir uma “receita” dada por seus criados e programadores, o que torna essa ferramenta algo muito mais poderoso.

O software tem a capacidade de trilhar seu próprio caminho para aprender a traduzir, de forma independente, o que pode fazer com que seja difícil até mesmo para os pesquisadores entenderem o que está acontecendo. Mas o que importa é o resultado, ressalta Quoc Le “Pode ser até perturbador, mas nós estamos satisfeitos com os resultados e por estar funcionando”.

O pesquisadores inclusive acreditam que o software será capaz de entender e aprender o idioma, e quem diz isso é Lane Schwartz, professor da Universidade de Llinois, EUA.

Porém, Quoc Le diz que isso ainda está distante e que o progresso é gradual, pois imitar a complexidade e a forma como nos comunicamos é algo muito mais complexo do que se imagina e isso vem sendo o alvo dos pesquisadores há várias décadas, com poucos avanços significativos.

Original: Google’s New Service Translates Languages Almost as Well as Humans Can – (em inglês)