As interjeições expressam emoções, sentidos, sensações, estados de espírito (dúvida, desprezo, alegria, esperança etc). São classificadas em três tipos: próprias, impróprias e locuções interjetivas.

Interjeições Próprias

São assim chamadas por possuírem apenas a função de interjeição.

Evviva! – Viva!

Evivva la pace! Viva a paz!

Magari! – Oxalá!/Quem me dera!

Macchè! – Que nada!/Imagine!

Hai! Questo dolore non mi passa mai. Ai! Esta dor não passa nunca.

Hai! – Ai!

Guai! – Vai ver!

Ah! – Ah!

Ah no! – Ah não!

Ah si? – É mesmo?

Beh! – Bem!

Boh! – Sei lá!

Bleh! – Eca!

Caspita! -Puxa!

Come no! – Como não! / Ex.: Ti piace? Come no! (Você gosta? Como não?)

Eccome! – E como! / Ex.: Ti piace? E come! (Você gosta? E como!)

Ehi! – Ei!

Suvviva! – Vamos lá!

Maledizione! – Maldição!/Droga!

Interjeições Impróprias

Possuem essa denominação por terem originariamente outras funções (substantivos, adjetivos, advérbios, verbos) e são secundariamente usadas com valor de interjeição.

Basta! – Chega!

Bene! – Bem!

Bravo! – Bravo!

Coraggio! – Coragem!

Giusto! – Exato!

Peccato! – Pecado!

Zitto! – Quieto!

Essas expressões repercutem no destinatário da mensagem, outras servem para ativar a comunicação:

Come? – Como?

Senti? – Escuta?

Pronto? – Pronto?

Locuções Interjetivas

São assim chamadas por serem formadas por grupos de palavras ou até por frases.

Dio mio! – Meu Deus!

Santo Cielo! – Oh, céus!

Ora basta! – Agora chega!

Poveri noi! – Pobres de nós!

Per carità! – Por bondade!

Mi faccia il piacere! – Me faça o favor!

Neanche per sogno! – Nem mesmo em sonho!

Como se pode notar pelos exemplos, as interjeições são frequentemente seguidas pelo ponto exclamativo ou interrogativo, para acentuar a expressão de maravilhamento, surpresa ou de incredulidade.