Em islandês há quatro casos nominais: Nominativo, Acusativo, Dativo e Genitivo e há três gêneros: masculino, feminino e neutro. Cada gênero é subdividido em mais padrões de declinação que definem como cada palavra será declinada.

Caso Nominativo

O caso nominativo é o caso que aparece nos dicionários. Se o verbo na frase não rege nenhum caso e se não há preposição, então o nome deverá vir na forma nominativa. As desinências (partes que se adicionam à palavra) singulares do caso nominativo são as seguintes:

  • Masculino: ur, l, n, i.
  • Feminino: a, ou sem desinência.
  • Neutro: sem desinência, nomes terminados com acentos são usualmente neutros.

Exemplo: Bókin er góð (O livro é bom) – Góð é a forma nominativa, pois o verbo “að vera” rege o caso nominativo.

Exemplo: Ég verð prestur (Eu me torno padre) – Prestur é a forma nominativa, pois o verbo “að verða” rege o caso nominativo.

Caso Acusativo

É o caso do objeto. O caso acusativo é declinado de uma forma diferente. No singular, as desinências são as seguintes:

  • Masculino: remove-se a desinência nominativa. Se o nome termina em i, troca-se por a.
  • Feminino: se o nome não tem desinência nominativa, também não terá acusativa. Se termina em a, troca-se por ur.
  • Neutro: sem desinência.

Exemplo: Ég elska súkkulaði (Eu amo chocolate) – Súkkulaði é uma palavra neutra, e a forma nominativa é igual à acusativa, portanto é usado depois do verbo “að elska”, que rege o caso acusativo.

Exemplo: Ég bið þig (Eu te pergunto) – Þig é a forma acusativa do pronome þú, como já foi visto. O verbo “að biðja” rege o caso acusativo.

Caso Dativo

É aproximadamente o caso do objeto indireto. O caso dativo é declinado da seguinte forma, no singular:

  • Masculino: é bastante irregular. Alguns acrescentam i ao final, outros não. Se o nome tem i como desinência nominativa, a dativa será a.
  • Feminino: a mesma regra.
  • Neutro: adiciona-se i.

Exemplo: Þú snýrð mér (Você me gira) – Mér é a forma dativa do pronome ég, como já foi visto. O verbo “að snúa” rege o caso dativo.

Exemplo: Við bjóðum kaffi (Nós oferecemos café) – Como kaffi é uma palavra neutra, a sua forma dativa mantem-se kaffi. O verbo “að bjóða” rege o caso dativo.

Caso Genitivo

É o caso de posse. O caso genitivo, no singular, é declinado assim:

  • Masculino: adiciona-se s. Se a forma nominativa termina em i, na genitiva terminará em a.
  • Feminino: nomes que terminam em a, tornam-se ar. Se não houver desinência nominativa, terminam em ur.
  • Neutro: adiciona-se s.

Exemplo: Ég sakna þín (Eu sinto falta de você) – Þín é a forma genitiva do pronome “þú”, como já foi visto. O verbo “að sakna” rege o caso genitivo.

Exemplo: Hann beið okkar (Ele esperou por nós) – Okkar é a forma genitiva do pronome “við”, como já foi visto. O verbo “beið” rege os casos genitivo e dativo, mas neste caso é o genitivo.

Para as formas plurais, a declinação ocorre da seguinte maneira:

MasculinoFemininoNeutro
Nominativoirurirregular
Acusativoa¹ / ir¹urirregular
Dativou(m)²u(m)²u(m)²
Genitivoaaa

¹usa-se a quando a terminação nominativa é ur, l ou n. Usa-se ir quando a terminação nominativa é i.
²o m não é acrescentado quando o artigo definido é acrescentado.