O italiano, em geral, não apresenta grandes problemas de pronúncia para os brasileiros. Inclusive muitos sons italianos já são familiares a você, mas alguns exigem atenção especial. Por isso, é importante que você conheça algumas regras gerais da pronúncia do italiano.

As vogais

Uma das características do som do italiano é a pronúncia nítida das vogais.

a – tem o som sempre aberto, nunca anasalado, pronuncie o ‘a’ sempre aberto, como em ‘casa’: amico [amico], ancora [ancora].

e – pode ter o som aberto ou fechado, como em ‘ela’ ou ‘hora’: prego [prégo], sera [sera].

i – tem o som igual ao do português, pronuncia-se sempre fechado, como em ‘vila’ ou ‘aluno’: informazione [informatsione].

o – pode ter o som aberto ou fechado: oggi [ódji], giorno [djiorno].

u – tem o som igual ao do português: uscita [uchita]

Acentuação

A maioria das palavras italianas têm a penúltima sílaba tônica, ou seja, são paroxítonas. Mas também há palavras proparoxítonas, com a antepenúltima sílaba tônica, e oxítonas, com a última sílaba tônica.

As palavras oxítonas sempre levam acento gráfico. Alguns monossílabos levam acento para indicar diferentes sentidos: [se], pronome “se” – se [se], conjunção “se”; [di], “dia” – di [di], “de”. Utiliza-se o acento agudo (´) sobre e e o fechados e o acento grave sobre e e o abertos e as demais vogais.

Quando houver possibilidades de confusão, poderão ser acentuadas palavras de mesma grafia, mas de pronúncia e significado diferentes: ancòra [ancóra], “ainda” – àncora [áncora], “âncora”.

As consoantes e os grupos consonantais

De modo geral, as consoantes no italiano são pronunciadas de maneira semelhante à do português. No entanto, apresentam algumas especificidades, principalmente ao formarem grupos consonantais.

c – diante de consoante e das vogais a, o, u tem o mesmo som que no português: caldo [caldo]. Diante de e e i tem o som de “tch”: centrale [tchentrale], dieci [diétchi]. ce, ci têm som de ‘tche’ e ‘tchi’ em português.

ch – é utilizado na formação dos fonemas che e chi, que têm o som, respectivamente, de “que” e “qui”: anche [anque], chiesa [quiza].

g – diante de consoante e das vogais a, o e u tem o mesmo som que no português: guanti [guánti]. Diante de e e i tem o som de “dj”: argento [ardjento], giacca [djiaca]. ge, gi têm som de ‘dje’ e ‘dji’ em português.

gh – é utilizado na formação dos fonemas ghe e ghi, que têm o som, respectivamente, de “gue” e “gui”: targhetta [targueta], funghi [fúngui].

gl – antes de i, tem o som molhado, correspondente ao som do grupo “lh” em português: bagaglio [bagalho]. Há alguns casos em que gli tem o som de “gl” em português: glicerina [glisserina]

gn – tem o som correspondente ao do grupo “nh” em português: agnello [anhélo]

h – não tem som próprio. É utilizado principalmente na composição de grupos consonantais, em algumas formas do verbo avere, em exclamações e em palavras de origem estrangeira.

l – é sempre pronunciado com a língua no céu da boca.

qu – é sempre pronunciado como “cu” em português, mesmo diante de e e i: quello [cuelo], quinto [cuinto].

r – é sempre vibrante, mesmo quando duplo. Nunca tem o som gutural: vorrei [vorrei].

s – quando seguido de ce ou ci, tem o som, respectivamente, de “che” ou “chi”: scena [chena], scienza [chientza]. Nos outros casos é pronunciado como no português: casa [caza], scuola [scuola]. Tem som de “ss” quando, no início da palavra, vier antes de vogal ou de consoantes e quando for dupla e som de “z” quando estiver no meio de duas vogais.

sce, sci – têm som de ‘ch’ em português.

sche, schi – têm som de ‘ske’ e ‘ski’ em português.

sghe, sghi – têm som de ‘sgue’ e ‘sgui’ em português.

z, zz – é pronunciado como “dz” ou como “ts”, conforme o caso: benzina [bendzina], piazza [piatsa].

Ligações

No italiano, quando a uma palavra terminada por consoante se segue uma palavra iniciada por vogal, ambas se ligam, sendo pronunciadas como se fossem uma única palavra: un anno [unano].

Dizemos que há elisão quando o encontre entre duas vogais é evitado através do uso do apóstrofo em substituição à primeira vogal. Isso ocorre com os artigos, com os adjetivos quello [cuelo], “aquele” e bello [bélo], “bonito” e com a preposição di [di], “de”: una alumna = un’alumna [unaluna]; lo amico = l’amico [lamico]; quello uomo = qull’uomo [cueluómo].

Alfabeto italiano

A aaN néne
B bbiO oó
C ctchiP ppi
D ddiQ qcu
E eeR rérre
F féfeS sésse
G gdjiT tti
H hacaU uu
I iiV vvu
L léleZ zdzeta
M méme

As letras J, K, W, Y quase nenhum  emprego tem no italiano e não fazem parte do alfabeto moderno. Servem apenas nos casos de citações de nomes estrangeiros.

j – i lunga (jazz, jeep, jersey, jugoslavo, etc)
k – cappa (kimono, etc)
w – doppia vu, doppia vi, vu doppia, vi doppia (watt, western, whisky, etc)
x – ics (xerocopia, xenofobia, xilografia, xilofono, etc)
y – i greca, ipsilon (yogurt, yankee, etc)