Este artigo faz parte da série As Regras Fundamentais do Esperanto. As primeiras oito regras se referem às principais classes de palavras. Muitas de suas características estão presentes no Esperanto e nas demais línguas modernas.

Preposição

A palavra utilizada para expressar relação de sentido entre duas ideias é a preposição, que tem este nome, pois é colocada numa posição antes da palavra que é regida (comandada) pela palavra regente (que comanda).

A preposição é muito importante, pois evita que a língua se torne uma “colcha de retalhos”. Veja expressão abaixo:

LIBRO PETRO (regente + regido)

Em muitas línguas, bastaria juntar as duas ideias para estabelecer a relação de posse entre LIBRO e PETRO. Entretanto, devemos sempre lembrar que o Esperanto é uma língua internacional e, por isso, se ajusta ao pensamento mais global possível entre os falantes de todas as línguas humanas.

Por isso, usa-se uma palavra para ligar ambas as ideias: DE

Libro DE Petro (Livro de Pedro)

Observação: As preposições, em Esperanto não variam, ou seja, não sofrem mudanças. São escritas, sempre, da mesma forma.

Outros exemplos:

MI LOĜAS BRAZILO (regente + regido)

Precisamos de uma palavra para ligar a ideia regente (MI LOĜAS) à ideia regida (BRAZILO), estabelecendo relação de lugar. Nessa frase usamos: EN.

Mi loĝas EN Brazilo (Eu moro NO Brasil)

Mais um exemplo:

MI VOJAĜOS BRAZILO (regente + regido)

Precisamos de uma palavra para ligar a ideia regente (MI VOJAĜOS) à ideia regida (BRAZILO), estabelecendo relação de direção. Nesta frase usamos: AL.

Mi vojaĝos AL Brazilo (Eu viajarei AO Brasil)

Ainda outro exemplo:

MI SKRIBAS LA KRAJONO (regente + regido)

Precisamos de uma palavra para ligar a ideia regente (MI SKRIBAS) à ideia regida (LA KRAJONO), estabelecendo relação de instrumento. Nesta frase, usaremos: PER.

Mi skribas PER la krajono (Eu escrevo com o lápis)

Lembra-se quando falamos sobre o acusativo (a letra N)? Perceba que nenhuma ideia que vem depois da preposição usa a letra N, pois as palavras que a seguem estão no nominativo, portanto, sem a letra N!

O sentido das preposições em Esperanto e claro e preciso. Numa frase em português, como “O orador falou sobre um ônibus”, é possível uma incompreensão. Pode-se entender que ele falou a respeito de um ônibus ou que ele teve que subir em um ônibus para falar. Esta ambiguidade é resolvida da seguinte forma:

La oratoro parolis PRI buso (O orador falou SOBRE um ônibus = a respeito do ônibus)

La oratoro parolis SUR buso (O orador falou SOBRE um ônibus = ele subiu em um ônibus)

Outra frase ambígua: “EU pensei em você”. O sentido da preposição EM, em português, é de “sobre”, “a respeito de”. Se a ideia for traduzida ao pé da letra, ou seja, de maneira literal, será usada a preposição EN (em, dentro de). Ela é inadequada, pois não dará o sentido necessário ao entendimento da frase. O correto é:

Mi pensis PRI vi (Eu pensei EM você = literalmente, Eu pensei SOBRE você; Eu pensei a respeito de você)