islandês é escrito utilizando-se o alfabeto romano, introduzido junto com o cristianismo por volta do ano 1000, acrescido de alguns símbolos próprios: ð (chamada eth, que é uma fricativa dental sonora [ð]), þ (thorn, que representa a fricativa dental surda [θ]) e æ (que representa o ditongo [ai]).

O alfabeto islandês completo tem 32 letras. As vogais com acentos são consideradas letras separadas; assim, num dicionário austan vem antes de ábóti.

O alfabeto completo é como segue:

A Á B D Ð E É F G H I Í J K L M N O Ó P R S T U Ú V X Y Ý Þ Æ Ö

Letras do Alfabeto

É às vezes muito útil saber como se pronunciam as letras do alfabeto de certa línguas separadamente. Não deixemos passar em branco esta parte.

Aaa
Ááá
Bb
Dd
Ðð
Eee
Ééé
Ffeff
Ggge
Hh
Iii
Ííí
Jjjoð
Kk
Llell
Mmemm
Nnenn
Ooo
Óóó
Pp
Rrerr
Ssess
Tt
Uuu
Úúú
Vvvaff
Xxex
Yyufsilon y
Ýýufsilon ý
Þþþorn
Æææ
Ööö

Letras que não fazem parte do alfabeto islandês e sua pronúncia:

Cc
Qq
Wwtvöfalt vaff
Zzseta*

*Fazia parte do alfabeto, mas foi abolido em 1974.

Pronúncia

Não se aprende a pronúncia lendo conceitos, mas sim ouvindo e repetindo as palavras, porém as próximas linhas vão te ajudar a ter uma pequena ideia de como são os sons da língua islandesa. É apenas para que você não fique perdido quando tentar ler as palavras em islandês, e para que você observe padrões, mas não a tome como a chave fonética do islandês.

Vogais

a [a] diz-se como bala, fala (ex.: tala)
a [au] antes de ng, nk diz-se como mau (ex.: bakþanki )
e [ɛ] diz-se como hélio, mel (ex.: þetta)
é [jɛ] diz-se como periélio (ex.: ég)
i [ɪ] diz-se como filho, milho (ex.: iðinn)
í [i] diz-se como ali (ex.: þín)
y [ɪ] diz-se como filho (ex.: ykkur)
ý [i] diz-se como ali (ex.: sýra)
o [ɔ] diz-se como bola (ex.: lofa)
u [ø] diz-se aproximadamente como um ‘u’ afrancesado (ex.: piltur)
ú [u] diz-se como tu, tatu (ex.: þú)
ö [œ] diz-se aproximadamente como um intermediário entre ‘ê’ e ‘ô’ (ex.: rödd)
á [au] diz-se como causa, falta (ex.: tá)
æ [ai] diz-se como sai, vai (ex.: jæja)
ó [ou] diz-se como vou, sou (ex.: rós)
au [œy] som entre ‘êi’ e ‘oi’ (exs.: strauja;auga)

É possível perceber que os acentos gráficos em islandês não têm, como o é em português, a função de indicar a tonalidade, mas indicam, mesmo, letras próprias (‘a’ ≠ ‘á’).

Consoantes

b [p] diz-se aproximadamente como pasta (ex.:barn)
d [t] diz-se aproximadamente como tal (ex.:dalur)
t [t] diz-se como tal (ex.:setja)
t [t] inicial diz-se como toda (ex.:tekur)
ð [ð] ex.:komið
ð [θ] ex.: sjómaðkur
þ [θ] som do th inglês como em think (ex.:það)
j [j] diz-se como iate (ex.:já)
l [l] diz-se como ler (ex.:lofa)
m [m] diz-se como mamãe (ex.:mega)
r [r] é um ‘r’ rolado, aproximadamente como aparato (ex.:rós)
s [s] diz-se como sol (exs.:sól;sjö)
x [xs] diz-se como saxão (ex.:öxi)
f [f] diz-se como fato (ex.:faðir)
f [p] entre uma vogal e ‘l’ ou ‘n’, diz-se como pato (ex.:nafn)
f [v] depois ou entre vogais, diz-se como vaso (ex.:af)
h [h] em início de palavra, diz-se como rato (ex.:hæ)
h [k] antes de ‘v’, diz-se como cama (ex.:hver)
n [n] diz-se como nome (ex.:níu)
k [x] antes de ‘s’ ou ‘t’, diz-se como um ‘h’ (ex.:sjúkt)
z [s] letra arcaica, com mesmo som do ‘s’(ex.:íslenzka)

O g apresenta maior variedade de sons:

g [k] inicial e entre ‘l’ e ‘n’ ou após consoante Diz-se como clamor (exs.: gleða; nögl; mörg)

g [ɣ] após vogais e depois de ‘a’, ‘u’, ‘ð’ e ‘r’ Exemplo: dagur (leia “dahur”)

g [ɣ] fim de palavras Exemplos: lag; mig (leia “larr”, “mir”)

g [x] após vogais e antes de ‘t’ e ‘s’ Exemplo: sagt (leia “sarrt”)

g [j] entre vogais Exemplo: segja (leia “seia”)

g (suprimido) entre ‘ó’, ‘á’, ‘ú’ ‘a’ e ‘u’ Exemplo: fljúga (leia fliúa”)

[tl] exceto em palavras estrangeiras e apelidos (exs.: kalla [katla], mas Palli [pali]). Antes de ‘t’, como em alltaf e allt, o ‘ll’ soa como ‘lsh’ (“alshtaf”, “alsht”)

nn [tn] após ‘á’, ‘í’, ‘ó’, ‘ú’, ‘ý’, ‘æ’, ‘ei’, ‘ey’, ‘au’ (exs.: einn; hreinn)

nn [n] no artigo definido (ex.: drengurinn)

kk, kt, kn [hk] a sílaba anterior fica mais forte (exs.: ekki; sakna)

tt, tl, tn [ht] a sílaba anterior fica mais forte (exs.: vatn; þetta)

pp, pl, pn [hp] a sílaba anterior fica mais forte (ex.: uppi)

Eth

Eth: Eth (Ðð) também chamada de edh ou eð, é uma letra usada em inglês antigo, islandês, feroês e Älvdalsmål, um grupo de dialetos suecos. O eth também foi usado na escandinávia, durante a Idade Média, mas foi gradativamente substituído por dh ou d.
O eth nasceu na escrita irlandesa antiga, adicionando uma barra ao ascendente do d. Na forma minúscula, a forma curva da tipografia foi conservada, o que não aconteceu com o d em geral.

Em islandês, geralmente representa a fricativa dental sonora, embora possa representar também a fricativa dental surda [θ] quando antes de um som surdo (como em maðkur, que é pronunciado [ˈmaθkʏr]).

Em feroês, não representa nenhum fonema específico, mas pode ter várias pronúncias dependendo da posição, representando sons aproximantes (glides). A pronúncia do eth em Älvdalsmål é igual à do islandês.

Em inglês antigo, eth e thorn (Þ,þ) eram usados para representar as fricativas interdentais sonoras e surdas, e um podia ser usado no lugar do outro. A letra ð foi usada largamente durante a era Anglo-Saxã, mas caiu em desuso e por volta de 1300 já havia praticamente desaparecido.

O thorn sobreviveu por mais tempo, até que foi substituído pelo dígrafo inglês moderno th por volta do ano de 1500.

No Alfabeto fonético internacional, a letra eth é usada para representar a fricativa interdental sonora.

Thorn ou þorn

Thorn ou þorn (Þ,þ) é uma letra usada no alfabeto anglo-saxão e no islandês. Era usada na escandinávia medieval, mas foi substituída pelo dígrafo th. Essa letra deriva da antiga runa, que também tinha o nome de thorn nos poemas rúnicos anglo-saxões.

Em islandês, fora algumas poucas exceções, essa letra representa a fricativa dental surda, representada no alfabeto fonético internacional por [θ]. Já em inglês antigo, o thorn representava a fricativa interdental surda e sonora, dependendo da posição. O thorn e o eth (Ð,ð) podiam ser usados um pelo outro nos manuscritos anglo-saxões.

para colocar no computador aperte alt,1,2,0,2,9,6 no teclado numérico para colocar o Þ e alt,0,2,5,4 para colocar þ.

Æ

Æ“, “æ” (chamado em Inglês antigo de æsc, pronunciado [æʃ]) é uma letra vogal que deriva de uma ligatura de a com e, mas que hoje é considerada uma letra por si só no islandês, dinamarquês, faroês e norueguês.

Alguns textos medievais ou mais recentes também usam a ligatura a+e em latim para denotar o ditongo [ae̯], embora os próprios romanos usassem, em seu lugar, o dígrafo AE, e nunca a forma ligada.

Nas línguas em que é usado atualmente, o æ tem os seguintes sons:

* Em islandês, possui o som [ai] * Em faroês, possui o som [ɛa]] quando longo e [a] quando curto.
* Em norueguês, possui o som de [æ] * Em dinamarquês, possui vários sons dependendo do contexto fonêmico. Entre os sons que pode possuir, estão [ɛ], [æ] (antes de r) e [ɑ] (depois de r).

Fonte: Guia elementar de Língua Islandesa para brasileiros – Por Celso R.S. Melo