Em verde, na imagem acima, as áreas de maior ocorrência do portunhol.

Erro 1: Uso de “SS”
Em espanhol nenhuma palavra se escreve com “ss”, sempre que você for usar uma palavra que contenha esta letra, lembre de escrevê-la somente com uma “s”.

Exemplo: profesor, asesino, proceso, posibilidad, profesional.
(professor, assassino, processo, possibilidade, profissional.)

Erro 2: Uso de “qua” no lugar de “cua” ao início de uma palavra.
Em espanhol não existem palavras que comecem com a sílaba “qua”.

Exemplo: cuadro, cuanto, cual.
(quadro, quanto, qual.)

Erro 3: Uso de “m” no lugar de “n” ao final de uma palavra.
Em espanhol não existem palavras terminadas na letra “m” com exceção de algumas palavras vindas do latim (álbum, ibídem, ídem, ítem, mágnum, máximum, médium, memorándum, referéndum, ultimátum.)

Exemplo: trabajan, canción, camión, juegan, cantan.
(trabalham, canção, caminhão, jogam, cantam.)

Erro 4: Uso de “lo” no lugar de “el”.
“el” é um artigo masculino singular que acompanha a um substantivo e “lo” é um artigo neutro que nunca acompanha a substantivos, ele acompanha adjetivos, advérbios e particípios.

Exemplo (el): el coche, el libro, el perro.
(o carro, o livro, o cachorro.)

Exemplo (lo): lo lindo, lo caliente, lo cantado.
(o lindo, o quente, o cantado.)

Erro 5: Uso da preposição “de” no lugar de “en” com os meios de transporte.
Em espanhol, o correto é usar a preposição “en” com os meios de transporte.
Você poderá escutar algumas pessoas nativas dizer: “voy de coche, va de tren, van de avión”, porém esta construção deve ser evitada.

Exemplo: voy en coche, va en tren, van en avión.
(vou de carro, vai de trem, vão de avião.)

Erro 6: Omitir a preposição “a” na perífrase do futuro “ir a”.
Em português usamos “vou trabalhar, vamos comer, vão sair”, mas em espanhol é obrigatório usar a preposição “a” nesta construção.

Exemplo: voy a trabajar, vamos a comer, van a salir.
(vou trabalhar, vamos comer, vão sair.)

Erro 7: Uso de artigos antes de adjetivos possessivos.
Em português comumente dizemos “estive com a minha avó, você é o meu amor”, porém em espanhol o uso de um artigo antes de um adjetivo possessivo não é correto.

Exemplo: estuve con mi abuela, tú eres mi amor.
(estive com -a- minha avó, você é -o- meu amor)

Erro 8: Uso de “también no” no lugar de “tampoco”.
É incorreto usar a expressão “también no” para afirmar uma negação.

Exemplo: Tampoco me gusta el pescado.
(Também não gosto de peixe.)

Erro 9: Não abrir os pontos de interrogação e exclamação.
Em espanhol, as frases interrogativas e exclamativas devem levar sempre um ponto (de interrogação ou exclamação) no início e no final da mesma.

Exemplo: ¿Cómo te llamas? / ¡Qué lindo día!
(Qual é o seu nome? / Que dia lindo!)

Erro 10: Não acentuar os pronomes interrogativos ou exclamativos.
Em espanhol, os pronomes exclamativos e interrogativos (qué, cuándo, cómo, cuál, dónde) levan acento gráfico em perguntas diretas ou indiretas.

Exemplo: ¿Cómo llego al hospital? / ¡Qué calor hace en esta ciudad!
(Como faço para chegar ao hospital? / Que calor faz nesta cidade!)

Erro 11: Acentuação de monossílabos.
Em espanhol os monossílabos não se acentuam, excetuando os monossílabos com acento diferencial (usado para diferenciar palavras que têm a mesma grafia mas possuem significados diferentes, exemplos: te-té, de-dé, el-él, mi-mí, se-sé, si-sí, etc…).

Exemplo: ti, es, dio, va, da, ni, pie, fue.
(ti, é, deu, vai, dá, nem, pé, foi.)

Erro 12: Uso de “ava” no lugar de “aba” na conjugação verbal do pretérito imperfeito de indicativo.
Em espanhol os verbos da primeira conjugação (terminados em “-ar”) quando conjugados em pretérito imperfeito de indicativo adotam as seguintes terminações: “-aba, -abas, -aba, -ábamos, -abais, -aban”.

Exemplo: trabajaba, cantabas, jugábamos, saludabais, nadaban.
(trabalhava, cantavas, jogávamos, cumprimentáveis, nadavam.)

Erro 13: Uso de “tener” na formação dos tempos verbais compostos.
Em português os tempos verbais compostos se formam com os auxiliares “haver” ou “ter”, sendo este último o mais comumente usado. Em espanhol, para a formação dos tempos compostos somente se usa o auxiliar “haber”.

Exemplo: he comido, había salido, hubiésemos comprado, hayamos ido.
(tenho comido, tinha saído, tivéssemos comprado, tenhamos ido.)

Erro 14: Uso de artigos antes de nomes próprios.
Em espanhol não usamos artigos antes de nomes próprios. Existem somente alguns casos em que se permite o uso de artigos antes de nomes de cidades, países e continentes, exemplo: el Perú, la Argentina, el Ecuador, el Congo, la India, los Estados Unidos, Los Ángeles, La Habana, la Somalia, el Japón, la Libia, el Escorial, el Paraguay, el Uruguay, el Brasil, El Salvador, etc…
Ainda que esses nomes própios aceitem o artigo, evite seu uso, com exceção de La Habana, El Salvador, Los Ángeles.

Exemplo: Marta, Ricardo, Ecuador, Buenos Aires, Europa.
(Marta, Ricardo, Equador, Buenos Aires, Europa.)

Erro 15: Uso de “mucho” no lugar de “muy”.
Em espanhol temos duas palavras que possuem o mesmo significado que “muito”, são “muy / mucho”.
Usa-se “muy” antes de adjetivos, advérbios ou partícipios. Quando não se cumpre a regra anterior, usa-se “mucho” e suas variantes de gênero e número.

Exemplo (muy): muy bonita, muy caliente, muy conocido.
(muito bonita, muito quente, muito conhecido.)

Exemplo (mucho): mucho calor, te amo mucho, comer mucho.
(muito calor, amo-te muito, comer muito.)

Erro 16: Uso de “tengo de” no lugar de “tengo que”.
Em português usamos “tenho de / tenho que” como uma forma de expressar obrigação, porém em espanhol o correto para expressar obrigação é usar as construções: “tener que + infinitivo”, “haber de + infinitivo” e “deber + infinitivo”.

Exemplo (tener que): Ella tiene que estudiar para el examen de mañana.
(Ela tem de estudar para a prova de amanhã.)

Exemplo (haber de + infinitivo): Mi padre ha de trabajar muy duro para pagar mi universidad.
(Meu pai tem que trabalhar muito duro para pagar minha faculdade.)

Exemplo (deber + infinitivo): Debo hablar con la directora para comunicarle tu situación.
(Devo falar com a diretora para comunicar-lhe sua situação.)

Erro 17: Uso de “tener” no lugar de “haber”.
A utilização destes dois verbos costuma ser um pouco problemática. Em português é comum usar o verbo “ter” com sentido de existir, exemplo: “tem uma maça na geladeira, tem uma faca sobre a mesa”, porém em espanhol, o verbo “tener” somente pode ser usado com sentido de possuir algo e não de existir, quando queremos expressar existência usamos o verbo “haber”.

Exemplo (tener): Mi primo tiene una casa cerca de la playa.
(Meu primo tem uma casa perto da praia.)

Exemplo (haber): Hay un libro sobre la mesa.
(Há um livro sobre a mesa. Tem um livro sobre a mesa.)

Erro 18: Colocar pronomes átonos (me, te, se, lo, la, le, les, nos, os) entre dois verbos.
Em português é comum dizer “Vou me comprar um carro”. Em espanhol o pronome átono somente pode ir antes do verbo conjugado e separado dele ou ao final do verbo em infinitivo, gerúndio ou no imperativo afirmativo e junto a ele, nunca entre os dois verbos.

Exemplo: Me voy a comprar un coche. / Voy a comprarme un coche.
(Vou me comprar um carro.)

Erro 19: Uso dos artigos indefinidos “un / una” antes de “otro / otra”.
Em português é comum o uso dos artigos indefinidos (um, uma) antes de “outro / outra”, exemplo: “Em um outro dia vou falar com ele”, em espanhol esta construção não é admissível.

Exemplo: Otro día hablaré con él.
(Outro dia falarei com ele.)

Erro 20: Usar “tú és” no lugar de “tú eres”.
Por interferência do português, muitos usam “tú és” quando em espanhol a forma correta é “tú eres”.

Exemplo: Tú eres la más bonita del grupo.
(Tu és a mais bonita do grupo.)